Leitos

Vereador questiona taxa de ocupação de leitos no Recife

Jayme Asfora (sem partido), vereador do Recife, pede esclarecimentos à Prefeitura do Recife pelo fato da ocupação dos leitos estar abaixo de 50%

JC
JC
Publicado em 26/05/2020 às 22:44
Notícia
JAILTON JR./JC IMAGEM (20.04.20)
Os gestores terão que apresentar, no mínimo, quantidade, prazo de utilização dos leitos e valores de referência - FOTO: JAILTON JR./JC IMAGEM (20.04.20)
Leitura:

O vereador do Recife Jayme Asfora (sem partido) questionou, nesta terça-feira (26), dados sobre a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) disponíveis na rede de saúde do município para o tratamento de pacientes com a covid-19. 

>> Familiares de pacientes com coronavírus em Pernambuco reclamam da espera por um leito de UTI

>> Milésimo paciente curado de hospital de campanha do Recife comemora alta sob aplausos dos profissionais de saúde

Jayme pediu esclarecimentos sobre o fato da taxa de ocupação dos leitos estar abaixo de 50%. Segundo a Secretaria de Saúde do Recife (Sesau) Recife, há 1.075 leitos no município, sendo 313 de UTI e 762 de enfermaria, distribuídos nos sete hospitais de campanha, na Policlínica Agamenon Magalhães, em Afogados, e no Hospital Evangélico de Pernambuco. Desses, estão disponíveis 764 leitos (127 de UTIs e 637 de enfermaria), com 355 pessoas internadas, sendo 92 pacientes em leitos de UTIs. 

“O que resulta numa taxa de ocupação de 46,46%. Onde estão os outros pacientes, inclusive das cidades da Região Metropolitana? Porque temos vagas ociosas, incluindo de UTI?”, questionou Jayme.

O vereador fez um pedido de informação para a Prefeitura sobre a quantidade de leitos existentes em cada um dos hospitais, os aptos e a sua taxa de ocupação. 

"Só existem três opções: a de que há um descompasso de informações dentro da Prefeitura, o que não acredito que aconteça; ou que os hospitais de campanha estão com quase metade dos seus leitos ociosos, o que demonstraria problemas na gestão dos leitos; ou o total de leitos disponíveis divulgados pelo município não condiz com a realidade", disse o vereador. 

Resposta

Por meio de nota, o 1º secretário da Câmara Municipal, vereador Romerinho Jatobá (PSB) rebateu as críticas de Jayme Asfora alegando que a os leitos de UTI sofrem a maior pressão do sistema de saúde. "No Recife não é diferente e a ocupação das UTIs da Prefeitura do Recife é sempre muito alta. O número que é divulgado para a imprensa reflete o momento em que os dados são colhidos. Essa ocupação é dinâmica e varia com as altas e óbitos. No entanto, sempre há pacientes na espera para ocupar as vagas, que estão à disposição da central de regulação do Estado", disse o vereador. 

Ele ressaltou o registro do milésimo paciente curado de covid-19 no Recife, anunciado nesta terça-feira (26). "Hoje, no dia que o Brasil completou três meses do primeiro caso confirmado, também foi o dia em que, finalmente, o Ministério da Saúde divulgou o seu protocolo para montagem de hospitais de campanha. Talvez o vereador desejasse que o Recife tivesse esperado pela movimentação do Governo Federal, ao qual parece cada vez mais alinhado, para tomar atitudes e salvar vidas”, completa o vereador.

Veja a íntegra da nota do vereador Romerinho Jatobá

“O vereador Jayme Asfora comprova que está realmente torcendo pelo pior no Recife. Por incrível que pareça, o gosto ruim da ocasião foi achar ruim que o sistema de saúde do Recife não tenha colapsado. Talvez o vereador desejasse que o Recife esperasse o colapso, para tomar atitudes contra o novo coronavírus, e não foi o que foi feito. O Recife se antecipou, aliou isolamento social com a maior criação de leitos para covid-19 do Brasil e hoje está salvando vidas, chegando à marca de mil altas nos hospitais de campanha.

É de conhecimento geral que a maior pressão no sistema de saúde são nos leitos de UTI. No Recife não é diferente e a ocupação das UTIs da Prefeitura do Recife é sempre muito alta. O número que é divulgado para a imprensa reflete o momento em que os dados são colhidos. Essa ocupação é dinâmica e varia com as altas e óbitos. Numa situação de pandemia global como a que estamos vivendo essa mudança acontece a cada momento. No entanto, sempre há pacientes na espera para ocupar as vagas, que estão à disposição da central de regulação do Estado.

Hoje, o Recife assistiu a milésima alta nos hospitais de campanha. São mil vidas de pernambucanos salvos, que voltaram ao convívio de suas famílias, por esse grande esforço feito pela Prefeitura do Recife. Hoje, no dia que o Brasil completou três meses do primeiro caso confirmado, também foi o dia em que, finalmente, o Ministério da Saúde divulgou o seu protocolo para montagem de hospitais de campanha. Talvez o vereador desejasse que o Recife tivesse esperado pela movimentação do Governo Federal, ao qual parece cada vez mais alinhado, para tomar atitudes e salvar vidas”.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias