Operação

Prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker se diz 'perplexo' com operação da polícia

A Polícia Civil de Pernambuco deflagrou nesta sexta-feira (17) a Operação Espectro, que investiga os crimes de desvio de serviços públicos e associação criminosa. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão nas duas residências de Sérgio Hacker, em Tamandaré e em Recife

Luisa Farias
Luisa Farias
Publicado em 17/07/2020 às 12:03
Notícia
REPRODUÇÃO/FACEBOOK
Prefeito diz que "recebeu a operação policial, presidida pelo DRACCO, com surpresa e perplexidade, pois, desde o início da investigação, sempre se colocou à inteira disposição da autoridade policial" - FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK
Leitura:

Atualizada às 12h18

A Operação Espectro, deflagrada pela Polícia Civil de Pernambuco nesta sexta-feira (17), cumpriu mandados de busca e apreensão em duas residências do prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker (PSB), no município e também no Recife. Ao todo foram cinco mandados, expedidos pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), mas ainda não há informação sobre o endereço dos outros três. 

O advogado de Sérgio Hacker, Gervásio Lacerda, divulgou uma nota em que nega que a Prefeitura de Tamandaré tenha sido alvo da operação e diz que o prefeito recebeu "com perplexidade" a notícia de que a operação foi deflagrada, uma vez que o prefeito tem colaborado com as autoridades. 

>> Polícia cumpre mandados no Recife e em Tamandaré em operação contra desvio de serviços públicos

>> Prefeitura de Tamandaré é alvo de investigação da Polícia Civil por supostos funcionários fantasmas

A defesa também afirma que não teve acesso à decisão judicial que determinou o cumprimento dos mandados. "No entanto, informa que recebeu a operação policial, presidida pelo DRACCO, com surpresa e perplexidade, pois, desde o início da investigação, sempre se colocou à inteira disposição da autoridade policial", diz trecho da nota, que também cita ações da defesa nesse sentido, como a habilitação de advogados, e a resposta imediata à todas as solicitações. 

Ainda na nota, Gervásio Lacerda classifica a medida policial como " desnecessária", pois o prefeito nunca dificultou as investigações, além de estar convicto de que não cometeu crime, o que será provado em momento oportuno. "Também, em ato contínuo, deve-se consignar, a fim de afastar qualquer dúvida ou informação falsa, que a Prefeitura Municipal de Tamandaré/PE, não foi objeto da operação policial. Por fim, reafirma confiança na imparcialidade do Poder Judiciário Pernambucano; bem como na serenidade do Ministério Público e da Polícia Civil", finaliza nota. 

A Polícia Civil investiga inicialmente os crimes de desvio de serviços públicos e associação criminosa. A investigação foi iniciada em junho de 2020 e corre em segredo de justiça. De acordo com a assessoria da Polícia Civil, uma liminar impede a divulgação de informações além das já divulgadas anteriormente. 

Leia a íntegra da nota da defesa de Sérgio Hacker

"Em resposta à noticiada operação policial deflagrada na data de hoje, o Sr. SÉRGIO HACKER, em estrito cumprimento à decisão judicial advinda do eminente Desembargador Estadual Relator do Tribunal de Justiça do Estado de Pernambuco, registra, desde já, que respeitará, como sempre respeitou, o sigilo imposto às investigações policiais. No mesmo tom, esclarece, por seu turno, que não teve acesso ao teor da decisão judicial.

No entanto, informa que recebeu a operação policial, presidida pelo DRACCO, com surpresa e perplexidade, pois, desde o início da investigação, sempre se colocou à inteira disposição da autoridade policial; peticionou por diversas vezes nos autos do inquérito policial; habilitou advogados em colaboração à apuração empreendida; requereu o acesso e extração de cópias, o que foi deferido; produziu provas, como também respondeu prontamente, como agente público, a todas as solicitações que lhe foram feitas.

A par desse contexto, deixa em evidência que a medida policial empreendida se afigura completamente desnecessária, pois, em nenhum instante, ele empreendeu qualquer embaraço ou dificultou às investigações; como também está convicto que não cometeu crime, conforme será devidamente demonstrado no momento próprio. Também, em ato contínuo, deve-se consignar, a fim de afastar qualquer dúvida ou informação falsa, que a Prefeitura Municipal de Tamandaré/PE, não foi objeto da operação policial. Por fim, reafirma confiança na imparcialidade do Poder Judiciário Pernambucano; bem como na serenidade do Ministério Público e da Polícia Civil.

GERVÁSIO LACERDA – OAB/PE 21.074"

Comentários

Últimas notícias