tragédia em beirute

Bolsonaro manifesta solidariedade às vítimas de explosão no Líbano

O presidente disse estar profundamente triste com ocorrido

Agência Brasil
Agência Brasil
Publicado em 04/08/2020 às 22:44
Notícia

MARCOS CORRÊA/PR
Bolsonaro manifestou-se por meio do Twitter - FOTO: MARCOS CORRÊA/PR
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro lamentou a explosão que aconteceu nesta terça-feira (4) em Beirute e deixou mais de 70 mortos e mais 2.700 feridos. Em sua conta pessoal no Twitter, Bolsonaro disse estar profundamente triste com as cenas.

>> Explosões em Beirute, no Líbano, deixam dezenas de mortos e milhares de feridos

>> Veja com ficou a cidade de Beirute após explosão impressionante

>> 'Uma grande catástrofe atingiu o Líbano', declara primeiro-ministro

"O Brasil abriga a maior comunidade de libaneses do mundo e, deste modo, sentimos essa tragédia como se fosse em nosso território. Manifesto minha solidariedade às famílias das vítimas fatais e aos feridos", escreveu o presidente na rede social.

Explosão no Líbano

Nesta terça-feira (4), uma grande explosão no porto da capital libanesa matou mais de 70 pessoas e deixou mais de 2.750 feridos, além de provocar ondas de choque que estilhaçaram janelas, danificaram edifícios e estremeceram o chão de Beirute.

A expectativa das autoridades locais é que o número de mortos aumente ao longo da noite desta terça-feira (4), à medida em que as equipes de emergência escavem os destroços para resgatar os corpos.

A explosão ocorreu por volta das 18h no horário local. Feridos chegaram a ser levados para hospitais fora de Beirute.

Alguns moradores, que estavam vivas durante os bombardeios que ocorreram na guerra civil do país, entre 1975 e 1990, acharam que se tratava de um terremoto.

O ministro do Interior do Líbano disse ao canal de televisão Al Jadeed que nitrato de amônio era armazenado no porto desde 2014.

Israel, que já travou diversas guerras contra o Líbano, negou qualquer tipo de envolvimento e ofereceu ajuda.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias