eleições 2020

'Vamos libertar o povo dessas famílias imperiais', diz Patrícia Domingos ao oficializar candidatura a prefeita do Recife

A chapa da delegada Patrícia Domingos (Podemos) composta com o Cidadania, tendo o produtor cultural Leo Salazar como vice foi oficializada nesta quarta-feira (16), último dia para a realização das convenções partidárias

Alice Albuquerque Luisa Farias
Alice Albuquerque
Luisa Farias
Publicado em 16/09/2020 às 19:33
Notícia

FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Convenção do Podemos para lançamento da candidatura de Patrícia Domingos - FOTO: FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

JC
Eleições 2020 - JC

Atualizada às 22h06

Em oficialização da candidatura a prefeita do Recife, a delegada Patrícia Domingos (Podemos), que tem como vice o produtor cultural Leo Salazar (Cidadania), reafirmou a sua bandeira do combate a corrupção e atribuiu a política como maior instrumento "para limpar uma cidade". Na ocasião, também foram oficializadas as candidaturas de 50 do Podemos e 38 do Cidadania à Câmara do Recife, dos quais Jayme Asfora e Junior Bocão já são detentores de mandato. 

O deputado federal Daniel Coelho (Cidadania) estava cotado para disputar a Prefeitura do Recife mas, ao se ver isolado com aliados apoiando a candidatura de Mendonça Filho (DEM), decidiu abrir mão da disputa e apoiar a delegada Patrícia Domingos como "a novidade dessa eleição", e consolidou a aliança entre os dois partidos da coligação majoritária através da indicação de Leo Salazar.

>> Ao lado de Patrícia Domingos, Daniel Coelho alfineta Marília, mas evita críticas a Mendonça por antiga aliança com o PSB

Patrícia falou emocionada que o fechamento da Delegacia de Combate à Corrupção (Decasp), extinta por lei Estadual pelo governador Paulo Câmara (PSB) em 2018 e fato que a tornou conhecida em todo o estado, foi "o dia mais triste" da sua vida. "Era onde a justiça acontecia, onde eu saciava a minha sede de justiça. Tiraram de mim as minhas ferramentas de combater a corrupção e temos que ter outra. A política é o maior e melhor instrumento para limpar uma cidade, um Estado e um País da corrupção", disse a agora candidata. 

"Fecharam a minha arena, onde eu lutava, e vou vencê-los. Eu voltei, mas não voltei sozinha. Vamos devolver o Recife para o povo e vamos libertar o povo dessas famílias imperiais. Vou ter o prazer de colocar um ponto final nessa família e nessa oligarquia. Na Prefeitura, ninguém vai botar o neto ou filho de alguém, vai entrar naquela Prefeitura alguém que tem na garganta engasgado um grito de justiça e indignação", ressaltou, em referência as candidaturas de Marília Arraes (PT), neta de Miguel Arraes, e de João Campos (PSB), filho de Eduardo Campos.

>> Daniel Coelho indica produtor cultural para ser vice de Patrícia Domingos, no Recife

A delegada rejeita a nacionalização do debate eleitoral do Recife. Eu tenho um projeto sem apadrinhamentos. Eu não tenho político de estimação. Nós não temos uma identificação de 100% com nenhuma pessoa para dizer: “Olha, eu sou idêntico ou tenho o mesmo projeto de alguma outra pessoa no campo da política", disse a candidata. Ela reafirmou as bandeiras defendidas no seu projeto de governo: combate à corrupção, diminuição da máquina pública e segurança pública. "Todas essas pautas serão defendidas por mim e se outras pessoas as defendem, isso só me torna ainda mais honrada de defender essas bandeiras", pontuou. 

Vice

Leo Salazar é produtor cultural há mais de 15 anos, consultor do Sebrae e até recentemente foi presidente do comitê gestor do São João de Caruaru. Ele promete agregar ao projeto de Patrícia pautas nas áreas do turismo, cultura, economia criativa e empreendedorismo.

"A gente precisa pensar também esse novo modelo cultural para a cidade do Recife. Os que estão no poder há 20 anos falam o tempo todo que valorizam a cultura, mas passam anos para pagar um cachê. O Teatro do Parque está fechado desde a gestão do prefeito João Costa. Todos os artistas do Recife estão insatisfeitos, mas eles não podem falar mal, porque senão eles não tocam. E a gente sabe que nessas gestões explodiram escândalos. Tem corrupção também na cultura. A gente vai combater isso", disse o vice. 

>> Daniel Coelho critica ''projetos individuais'' da oposição no Recife: ''Assim, todos perderão''

O deputado federal e líder do Cidadania no Estado Daniel Coelho, que indicou o nome de Leo Salazar para a composição da chapa, lembrou ter disputado a cadeira do prefeito no Recife duas vezes - em 2012 e 2016 em uma situação parecida com a de Patrícia em 2012". "A gente tem hoje as duas chapas mais competitivas da cidade, a chapa do Podemos e a do Cidadania. Se nela, assim como na disputa de 2016, tivesse havido algum tipo de gesto como o Cidadania está fazendo aqui hoje, nós teríamos ganho a eleição. Tanto em 2012, quanto em 2016, o sentimento era de que não havia o interesse de encerrar o ciclo do PT e do PSB. Era cada um com o seu projeto de disputar a eleição e manter a disputa de poder", pontuou.

>> Após Daniel Coelho decidir apoiar Patrícia Domingos no Recife, oposição prega 'união no segundo turno'

Coelho também explicou que o motivo de ter retirado a sua candidatura foi por ter entendido que "para construir uma história nova, é necessário dar um passo atrás". "A manutenção do Cidadania, da minha candidatura a prefeito garantiria o segundo turno do PT e PSB. Patrícia, mesmo com a grande narrativa e história de vida que tem, teria uma grande votação, mas iria disputar conosco e com as outras candidaturas que estão colocadas. A chance do segundo turno falso era imensa, falso porque o PT e o PSB governam juntos, estão juntos na Prefeitura e qualquer um que vencer a eleição, eles continuarão lá. Patrícia e Leo representam a oposição de verdade dessa cidade, que quer mudar o Recife. Quem quer mudar, não muda olhando para o retrovisor, quer olhar para frente, para o futuro, o palanque é o futuro", cravou Daniel, que vai coordenar a campanha de Patrícia Domingos e Leo Salazar. 

"Eu acho que o que Patrícia precisava a ente conseguiu. Acho que Daniel encorpa a campanha, traz uma militância natural. Daniel tem mais ou menos o discurso de Patrícia, a atuação política que ela tem. Eles se identificam muito, e o Cidadania é um partido que tem uma identificação até a nível nacional com o Podemos", resumiu o presidente estadual do Podemos e deputado federal Ricardo Teobaldo. 

Segundo Teobaldo, os resultados das pesquisas de opinião tem sido satisfatórios, considerando que boa parte da população recifense ainda não conhece a candidatura da delegada. "Vai ser uma campanha pobre, sem estrutura, mas propositiva. Vamos procurar fazê-la nas redes sociais, porque o nosso tempo de televisão é pequeno, mas o que temos nessa campanha é o novo. A novidade dessa eleição é Patrícia Domingos", disse. 

Chamou atenção a participação dos deputados estaduais Wanderson Florêncio e Clarissa Tércio na convenção, pelo fato do seu partido, PSC, ter Alberto Feitosa como candidato à Prefeitura do Recife. Ambos os parlamentares possuem ligações diretas com o Podemos e já vinham demonstrando publicamente apoio à Patrícia Domingos antes mesmo de Feitosa filiar-se ao PSC. O marido de Clarissa, o pastor Júnior Tércio, e o irmão de Wanderson e presidente municipal do partido são candidatos a vereador. 

 

JC
Eleições 2020 - FOTO:JC

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias