CARGOS POLÍTICOS

João Campos (PSB) ignora participação do PT na prefeitura do Recife e afirma que mérito da administração é todo do PSB

Atuais gestões socialistas de Geraldo Júlio e Paulo Câmara, no Recife e em Pernambuco, contam com cargos de petistas

JC
JC
Publicado em 16/11/2020 às 9:50
Notícia

Felipe Ribeiro/JC Imagem
João Campos, candidato a prefeito do Recife, em coletiva de imprensa após resultado do primeiro turno da eleição - FOTO: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

Em entrevista à Rádio Jornal na manhã desta terça-feira (16), o deputado federal e também candidato à prefeitura do Recife João Campos (PSB), ignorou a influência de integrantes do PT - partido da sua concorrente, Marília Arraes - na atual gestão de Geraldo Julio (PSB). Mesmo questionado, o congressista não respondeu se pedirá os cargos petistas da prefeitura da capital pernambucana. A disputa de segundo turno foi formada nesse domingo (15), após eleição apertada entre os candidatos socialista e petista, com 29,17% e 27,95% dos votos válidos, respectivamente.

"Quem governa hoje é o PSB, quem trouxe todas essas conquistas para a cidade do Recife foi o PSB, não foi o PT. Isso as pessoas sabem. Quem está no comando da gestão é o PSB, que fez os avanços, que conseguiu fazer o Recife se consolidar com indicadores importantes, com obras importantes", afirmou Campos.

Apesar de ter apontado como primeiro lugar nas eleições de domingo, a vitória de João sobre Marília foi apertada, diferentemente do que projetavam as pesquisas. A última do Ibope, de boca de urna, por exemplo, havia firmado o socialista com 35% dos votos, enquanto a petista alcançou 30%. No entanto, a diferença entre os dois nas urnas foi de aproximadamente 1,22 ponto percentual, o que representou 9.780 votos.

Sobre a disputa acirrada, mesmo contando com o apoio de mais de 400 candidatos a vereador ao PSB, Campos respondeu que "fez uma campanha vitoriosa". "A gente fez uma campanha vitoriosa, terminamos em primeiro lugar, com uma votação expressiva, no meio de uma pandemia, com o Brasil tendo alta abstenção devido à pandemia. Terminamos em primeiro lugar mesmo não começando em primeiro lugar. Crescemos a cada dia, fazendo uma campanha limpa, que respeitou todos os adversários, que não agrediu ninguém e que discutiu a cidade do Recife", disse.

O opositor também convidou os ouvintes a lembrarem das últimas gestões do PT no Recife, que foi dos prefeitos João da Costa (2009-2012) e João Paulo Lima (2001-2008), sem citá-los. "O recifense lembra como era o Recife administrado pelo PT e o que o Recife conquistou nos últimos anos. Você que está nos ouvindo pode lembrar o que era o Recife de oito anos atrás na qualidade da infraestrutura, de educação, da saúde, e o que é o Recife hoje. O Recife avançou. Lógico que tem coisas a ser melhoradas, sempre vai ter o que fazer, mas avançou muito" defendeu.

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias