COVID-19

Em reunião com Pazuello, Paulo Câmara garante Recife como um dos polos nacionais de distribuição da vacina contra covid-19

Programa de Imunização de Pernambuco já conta com 1,7 milhão de seringas em estoque, além de mais 1,8 milhão de unidades compradas e aguardando a entrega pelo fabricante.

JC
JC
Publicado em 15/12/2020 às 18:44
Notícia
DIVULGAÇÃO/SEI
ENCONTRO Eduardo Pazuello (esquerda) se reuniu com Paulo Câmara e André Longo, ontem, em Brasília - FOTO: DIVULGAÇÃO/SEI
Leitura:

Na véspera do lançamento do Plano Nacional de Imunização contra a covid-19, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), esteve reunido com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e o secretário estadual de saúde, André Longo, nesta terça-feira (15), para externar a preocupação com saúde pública não só no Estado, mas no país, principalmente com relação ao quantitativo e logística de distribuição das vacinas a partir de 2021.

>>Será preciso assinar termo de responsabilidade para tomar vacina, diz Bolsonaro

>>'Pernambuco está pronto para imunizar toda a população contra a covid-19', diz Paulo Câmara

“Confirmamos que o Recife será uma das sedes logísticas para a distribuição das vacinas, como foi ventilado no último fim de semana, e viemos reafirmar nosso apoio para que essas vacinas cheguem logo à população, não apenas em Pernambuco, mas de todo o País. Também informamos ao ministro que a nossa infraestrutura está pronta para distribuir o imunizante. Assim que recebermos as doses, em no máximo quatro dias atingiremos os 184 municípios pernambucanos, conforme já havíamos anunciado”, afirmou o governador, ao sair da reunião com Pazuello.

Questionado pelo correspondente da Rádio Jornal em Brasília, Romoaldo de Souza, se mesmo com a demora da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em liberar as autorizações dos imunizantes, seria possível iniciar a montagem de uma campanha de vacinação, Paulo Câmara afirmou acreditar que não deve atrapalhar esse processo.

“O ministro reafirmou uma questão importante, que ainda não há vacinas com solicitação de registro na Avisa. Então, isso realmente vai ensejar que tão logo chegue esses registros, a celeridade necessária e mantendo a segurança, isso é importante”, destacou Paulo Câmara.

Além do lançamento oficial do Plano Nacional de Imunização contra a covid-19, o ministro da saúde também irá se reunir, nesta quarta-feira (16), às 15h, com governadores e representantes da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) para tratar da vacinação. 

“O Ministro deve amanhã anunciar ao Brasil, providências após a nossa reunião e decisão do STF. Percebi que temos boas notícias", afirmou Wellington Dias (PT), Governador do Piauí, presidente do Consórcio Nordeste e coordenador da temática de vacina no Fórum Nacional dos Governadores. Também participam do encontro os governadores Ronaldo Caiado (GO-DEM), Helder Barbalho (PA-MDB), e o presidente do Conselho Nacional das Secretarias da Saúde dos Estados, Alberto Beltrame. 

PERNAMBUCO

Atualmente, o Programa de Imunização de Pernambuco já conta com 1,7 milhão de seringas em estoque, além de mais 1,8 milhão de unidades compradas e aguardando a entrega pelo fabricante. Há ainda, em andamento, um processo licitatório para aquisição de mais sete milhões de seringas, com previsão de conclusão em janeiro de 2021, em tempo hábil para as atividades de vacinação contra a Covid-19.

Segundo informações publicadas no Blog de Jamildo, há um entendimento no Estado, de que a quantidade de vacinas inicialmente prevista pelo Ministério, não seria satisfatória a população. Pelo plano, o Estado receberia inicialmente 500 mil doses. Com esta quantidade, somente 36 mil seriam usadas para os profissionais de saúde do setor público, além de outros 40 mil do setor privado. Mas não daria para atender toda a população de idosos, com risco de gerar filas e caos nos postos de saúde.

Isto tudo porque, no plano inicial, o governo federal prevê apenas 15 milhões de doses em janeiro, para todos os Estados. Depois, mais 15 milhões em fevereiro, outros 40 milhões em março e 70 milhões em abril. Caso seja fechado o acordo com a Pfizer, este numero pularia para 70 milhões somente em maio, mesmo com o recrudescimento da doença neste final de ano. “Neste formato, é impossível atender toda a população”, explica uma fonte do Estado. A demanda foi tentar ao menos o dobro de vacinas, entre janeiro e março.

No encontro com o ministro da Saúde, o governador Paulo Câmara solicitou que os idosos acima de 60 anos sejam incluídos na primeira fase da imunização dos grupos prioritários. "E que não apenas professores, mas todos os profissionais da área de educação sejam incluídos como prioridade na vacinação”, acrescentou o governador, que ainda aproveitou o encontro com Eduardo Pazuello para solicitar a revisão do financiamento do Ministério da Saúde de recursos destinados à abertura dos leitos de média e alta complexidade. “Estamos com um déficit de anos, que precisa ser urgentemente reajustado”, concluiu.

STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF),  Ricardo Lewandowski, havia dado um prazo de 48 horas, nesse domingo (13),  para que o Ministério da Saúde pudesse prestar esclarecimentos sobre o ínicio e o término do Plano Nacional de Imunização contra Covid-19. Por meio de um ofício encaminhado ao STF, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, garantiu que a distribuição das vacinas poderá ocorrer em até cinco dias, a partir do registro do imunizante.

"Registrada uma vacina ou autorizado o uso emergencial de um imunizante, bem assim seja o imunobiológico adquirido (nos termos da legislação pertinente) e entregue no Complexo de Armazenamento do Ministério da Saúde, a previsão de distribuição para Estados e Distrito Federal é de até cinco dias", declarou. 

Ainda segundo o documento, enviado por meio da Advocacia Geral da União (AGU) ao Supremo, "assim, o prazo para o término de vacinação do primeiro grupo é de aproximadamente trinta dias. Portanto, da fase inicial até o término da vacinação dos quatro grupos prioritários, estima-se lapso temporal aproximado de quatro meses, ou seja, cerca de trinta dias para conclusão de cada um dos grupos prioritários”.  

Comentários

Últimas notícias