Prioridades

Na primeira reunião com Lira, governo pede autonomia do BC e superendividamento

A Lei do Gás, a Lei Fundiária e licenciamento ambiental também foram pautas futuras citadas

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 04/02/2021 às 18:57
Notícia
MICHEL JESUS/CÂMARA DOS DEPUTADOS
Lira foi eleito presidente da Câmara no último dia 1º de fevereiro - FOTO: MICHEL JESUS/CÂMARA DOS DEPUTADOS
Leitura:
O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), realizou nesta quinta-feira (4), sua primeira reunião de líderes da Casa para fechar uma agenda de projetos a serem votados pelos deputados na próxima semana. Duas prioridades do governo entraram na pauta, além de medidas relacionadas à vacinação contra a covid-19. Uma nova fase do auxílio emergencial foi debatida durante o encontro, mas a questão só deve avançar após aprovação do Orçamento 2021.
"Pedimos a autonomia do Banco Central e a lei do superendividamento, dois que estão na lista entregue por Bolsonaro a Lira e ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). De todas as prioridades que lá estão, e são muitas importantes para o Brasil, nós combinamos essas duas para que a gente possa efetivamente votar, na medida em que sabemos que haverá obstrução e temos de vencer", disse o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), ao deixar a reunião. "São as duas que estão prontas para votar, com texto e relatores definidos", acrescentou.
A Lei do Gás, a Lei Fundiária e licenciamento ambiental foram pautas futuras citadas por Barros. "O auxílio emergencial e ampliação do Bolsa Família serão discutido na Comissão do Orçamento (CMO) que será instalada na semana que vem", disse. "Os recursos precisam ser encontrados no orçamento, respeitando o teto de gastos", afirmou.
 

Últimas notícias