DECLARAÇÃO

Em discurso, Bolsonaro diz que 'mimimi' e 'frescura' têm que acabar

Durante a inauguração de trecho da ferrovia Norte-Sul, o presidente questionou até quando as pessoas irão ficar "chorando"

Do jornal Correio para a Rede Nordeste
Do jornal Correio para a Rede Nordeste
Publicado em 04/03/2021 às 15:07
Notícia

Alan Santos/PR
"Até quando vão ficar dentro de casa, até quando vai se fechar tudo?", questionou o presidente após o pais registrar recorde de mortes - FOTO: Alan Santos/PR
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (4) que é preciso parar de "frescura" e "mimimi" com a pandemia e questionou até quando as pessoas irão ficar "chorando". A declaração foi alvo de críticas por ter sido feita um dia após o Brasil registrar recorde de mortes por covid-19. O presidente Jair Bolsonaro falou durante participação na inauguração de um trecho de 172 quilômetros da Ferrovia Norte-Sul, em Goiás.

Na quarta-feira (3), o Brasil bateu, pelo segundo dia consecutivo, o número máximo de registro de mortes em 24h, com 1.840 óbitos, segundo dados das secretarias estaduais de Saúde. A média móvel dos últimos sete dias também bateu um novo recorde, pelo quinto dia seguido: 1.332 óbitos contabilizados, em média.

"Até quando vão ficar dentro de casa, até quando vai se fechar tudo? Ninguém aguenta mais isso. Lamentamos as mortes, repito, mas tem que ter uma solução. Tudo tem que ter um responsável", finalizou Bolsonaro, que já se posicionou abertamente contra as medidas de isolamento social nesta segunda onda da doença causada pelo coronavírus.

Confira a declaração do presidente:

Comentários

Últimas notícias