Eleições 2022

Sem definição sobre a saída do MDB da base do PSB, Miguel Coelho e Raul Henry se reúnem no Recife

Oficialmente, os emedebistas integram a Frente Popular, mas tanto Miguel quanto o seu pai, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), não concordam com o posicionamento da agremiação e tentam levar a sigla para a oposição

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 06/04/2021 às 20:50
Notícia
DIVULGAÇÃO
Raul Henry, Miguel Coelho e Fernando Bezerra Coelho (foto de arquivo) - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Cotado para disputar o governo estadual em 2022, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), tem um encontro marcado nesta quarta-feira (7) com o deputado federal Raul Henry, que preside o MDB em Pernambuco. Hoje, oficialmente os emedebistas integram a Frente Popular, coligação que dá sustentação à administração do governador Paulo Câmara (PSB), mas tanto Miguel quanto o seu pai, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), não concordam com o posicionamento da agremiação e tentam, desde 2018, levar a sigla para a oposição.

Mesmo fazendo questão de ressaltar que vai se encontrar com o parlamentar em busca do seu apoio institucional em áreas como a educação e saúde, Miguel não nega que deve conversar com Raul a respeito de questões partidárias. O gestor diz que a relação na legenda entre os que são contra e a favor da aliança com o PSB é amistosa e respeitável, mas frisa que seguirá trabalhando para mudar os rumos do partido no Estado.

>> Com membros pró e contra Bolsonaro, oposição de Pernambuco tenta descobrir como lidar com o presidente em 2022

>> Com Miguel Coelho cotado para disputar o governo de Pernambuco, oposição não desiste de aliança com o MDB

>> Reajustes nos preços dos combustíveis em Pernambuco causam embate entre governo e oposição

>> ''Petrolina é o Pernambuco que dá certo'', diz Miguel Coelho, cotado para concorrer ao governo do Estado

"A nossa posição dentro do partido sempre foi muito clara, que nós somos oposição à Frente Popular. A gente respeita a posição de Jarbas (Vasconcelos), de Raul e dos demais que lá estão e eles também respeitam a nossa. Mas o próprio Raul reconhece que, independentemente da política do ano que vem, o senador Fernando Bezerra tem o direito legítimo da renovação do seu mandato, pelo menos do estar no pleito. E isso, em si, já coloca o partido na eleição do ano que vem com a perspectiva de configurar no polo de oposição. Mas pode ser que o MDB não se configure na vaga de senador, se configure em outra vaga na chapa majoritária", afirmou Miguel, frisando, no entanto, que não tem a intenção de iniciar o debate eleitoral na sigla neste momento.

Durante a sua fala, o prefeito fez questão de destacar que a uma das suas prioridades enquanto membro do MDB é o fortalecimento da legenda em Pernambuco, meta que, segundo ele, seria mais facilmente atingida caso o partido lançasse um candidato ao Palácio do Campo das Princesas. "O partido que tem um candidato a governador, seja de oposição ou seja de situação, automaticamente se torna o partido que lidera todo o processo. Se você tem uma possibilidade do MDB ter um candidato a governador, sem dúvida isso coloca a sigla como uma das principais forças do campo de oposição. Mas isso não está definido, não está sequer sendo tratado, em respeito ao momento que nós estamos vivenciando com a pandemia da covid-19", detalhou Miguel, rechaçando qualquer possibilidade de vir a sair da agremiação.

VISITAS

De passagem pelo Recife nesta terça-feira (6), o prefeito sertanejo participou de uma série de encontros com lideranças políticas de várias partes do Estado. Houve reuniões com o ex-senador Armando Monteiro (PSDB), com o ex-governador Mendonça Filho (DEM), com a deputada estadual Priscila Krause (DEM), com o ex-prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, com o deputado federal Ricardo Teobaldo (Pode) e com os prefeitos de Olinda, Professor Lupércio (SD), e Paudalho, Marcelo Gouveia (PSD).

"Eu vim ao Recife tratar de alguns assuntos relacionados à pandemia, algumas pendências com o Estado ligadas a leitos de UTI, e aproveitei para fazer algumas visitas. Algumas foram de cortesia, outras para a troca de experiências em diversas áreas", detalhou Miguel Coelho.

Comentários

Últimas notícias