Eleições 2022

'Opinião todo mundo pode ter', diz Sileno Guedes sobre críticas de aliados a Geraldo Julio

Lideranças da Frente Popular vieram a público nos últimos dias defender a postulação de José Neto pelo PSB para o governo estadual, tirando o ex-prefeito do Recife do páreo. Sileno defendeu o aliado em público nesta quarta (21)

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 21/04/2021 às 18:43
Notícia
Foto: Roberto Pereira Jr/Divulgação
Sileno Guedes, presidente estadual do PSB - FOTO: Foto: Roberto Pereira Jr/Divulgação
Leitura:

O presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, defendeu publicamente o ex-prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), após o aliado ter sido alvo de duras críticas de lideranças ligadas à Frente Popular nos últimos dias. Esse grupo de políticos, que conta com nomes como o do deputado federal Sebastião Oliveira (Avante) e o do deputado estadual Romero Albuquerque (PP), defende, inclusive, que em 2022 a chapa do PSB para o Governo de Pernambuco seja encabeçada pelo secretário da Casa Civil, José Neto, e não por Geraldo.

"Geraldo foi, sem dúvida, um dos maiores e melhores prefeitos que o Recife já teve. A capacidade de inovar na gestão, de trazer o recifense de volta para a rua, de atender cirurgicamente os pontos de risco, de democratizar a gestão. Não existiu prefeito que tenha tido capacidade maior do que Geraldo Julio. Geraldo representa, hoje, um dos melhores quadros do partido", cravou Sileno, durante entrevista ao programa Cidade em Foco, da Rede Agreste de Rádios, na manhã desta quarta-feira (21).

>> Em pressão por cargos, aliados do PSB começam a falar publicamente em nome "alternativo" a Geraldo Julio para 2022

>> Pré-candidato ao governo de Pernambuco, Miguel Coelho assume cargo que era de Geraldo Julio na FNP

>> Pernambuco já tem um total de dois possíveis candidatos ao governo com a polícia batendo em suas portas

>> Em Pernambuco, João Campos resiste a aliança com PT; enquanto Geraldo Julio tem postura mais pragmática

Apesar do posicionamento firme, o dirigente partidário afirmou que ainda é cedo para tratar sobre eleição e que, diante da pandemia pela qual o país está passando, entrar nesse tema seria um "desserviço". Mesmo assim, Sileno afirmou que, dentro do PSB, o nome de Geraldo seria praticamente uma unanimidade para o pleito do próximo ano.

"O PSB tem vários quadros, vários nomes importantes, e eu não tenho dúvidas de que se você for consultar a militância, aqueles que fazem o partido no dia a dia, que levantam a bandeira do partido, o nome de Geraldo Julio vai aparecer com bastante intensidade. Agora essa não é a pauta nem de Geraldo Julio, nem de Paulo Câmara, nem do PSB nesse momento. A gente está passando por um momento muito duro para a população para estar falando de quem é ou quem não é candidato. Eu acho que dividir o foco que se precisa ter hoje na pandemia com qualquer outro assunto, principalmente com eleição, é um desserviço que se presta", disparou o dirigente partidário, acrescentando que, apesar disso, "opinião todo mundo pode ter".

DIVISÃO

Segundo noticiou a repórter Mirella Araújo na última semana, nos bastidores comenta-se que as declarações públicas de insatisfação feitas por membros da Frente Popular seria um recado aos socialistas, uma vez que estes aliados estariam em busca de mais espaço no governo estadual. A expectativa era de que o próprio Geraldo se reunisse com estes personagens para tentar dirimir estes ruídos e estreitar relações com os rebeldes.

Comentários

Últimas notícias