Vacina

Deputado diz que 'com Recife saindo na frente', outros municípios devem começar a vacinar trabalhadores da educação

Em contrapartida, prefeitos da oposição ao governador Paulo Câmara (PSB), como a de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB) e o de Petrolina, Miguel Coelho (MDB) se queixaram da ampliação do público-alvo da vacina contra a covid-19 apenas na capital pernambucana

Luisa Farias Renata Monteiro
Luisa Farias
Renata Monteiro
Publicado em 29/04/2021 às 18:19
Notícia
ALEPE/DIVULGAÇÃO
"É muito importante que os demais gestores municipais tenham essa sensibilidade", afirmou o deputado na sessão desta quinta-feira (29) da Alepe - FOTO: ALEPE/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Com o início da vacinação contra a covid-19 para os trabalhadores da educação do Recife com mais de 40 anos a partir da quarta-feira (28), o vice-presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Professor Paulo Dutra (PSB), disse acreditar que, com a iniciativa adotada na capital pernambucana, os demais municípios do estado podem segui-la futuramente. 

>> Líder da oposição em Pernambuco diz que ''pode ter havido'' favorecimento ao Recife na vacinação por parte do governo do Estado

>> Municípios pernambucanos questionam o porquê de só o Recife conseguir iniciar a vacinação de profissionais da educação 

"Nós assinamos uma carta com o Fórum de Parlamentares de Comissões de Educação das Assembleias Legislativas pedindo para o governo Bolsonaro prioridade para os trabalhadores da educação. E não é porque ninguém acha que é melhor do que ninguém, mas é quem está no dia a dia e exposto ao vírus. Eu acredito que Recife saindo na frente, logo logo vamos ter várias cidades fazendo o mesmo", afirmou o deputado ao JC

Na sessão desta quinta (29) da Alepe, Paulo Dutra já havia defendido que os prefeitos contemplassem os trabalhados da educação na vacinação dos seus municípios. "É muito importante que os demais gestores municipais tenham essa sensibilidade", disse. 

Em contrapartida, prefeitos da oposição ao governador Paulo Câmara (PSB) se queixaram da ampliação do público-alvo da vacina contra a covid-19 apenas na capital pernambucana, como a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB) e o de Petrolina, Miguel Coelho (MDB). 

>> Estado não tem coragem de peitar João Campos, diz Miguel Coelho sobre vacinação no Recife

Miguel Coelho citou uma reunião realizada na última terça-feira (27) entre secretários municipais de saúde, Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e o Governo de Pernambuco em que ficou acordado que os municípios só poderiam começar a vacinação de outros grupos quando todos os profissionais da saúde recebessem o imunizante. 

>> Na ''guerra das vacinas'', Caruaru cobra tratamento igual ao Recife por parte de Paulo Câmara

Ele chegou a acusar o Governo de Pernambuco de não ter "pulso" para contrariar o prefeito João Campos (PSB). Já Raquel Lyra encaminhou um ofício ao governo estadual pedindo esclarecimentos sobre "a desigualdade no andamento da Campanha de Vacinação contra a Covid-19 entre os municípios pernambucanos". 

Em resposta às críticas dos oposicionistas, Paulo Dutra salientou que o envio e definição dos grupos prioritários da vacina contra a covid-19 é prerrogativa do governo federal. "Eu acredito que Recife não fugiu disso. O Governo de Pernambuco tem mostrado muita eficiência quando ele distribuiu quantitativos equivalentes à população dos municípios", afirmou o deputado. 

O deputado lembrou ainda da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de dar autonomia aos estados e municípios para adotar medidas de prevenção e combate à pandemia. "Por isso a gente vê o governo federal com tanta fragilidade. São Paulo já começou (vacinação de trabalhadores da educação), Rio de Janeiro, eu acredito que o Recife saí na frente no Nordeste mas por uma decisão e por realmente ter a educação como prioridade", justificou Paulo Dutra. 

Respostas

Após as críticas dos gestores, a SES-PE afirmou por meio de nota que faz a distribuição equânime das doses aos municípios e o avanço nas etapas - que segue os parâmetros do Plano Nacional de Imunização (PNI) - "é possível de acordo com a realidade de cada território, a disponibilidade de doses e, principalmente, a organização do processo de vacinação, minimizando as perdas de doses e monitorando a evasão do público".

Também através de nota encaminhada na quarta-feira (28) ao Blog de Jamildo, a Secretaria de Saúde do Recife informou que a inclusão dos profissionais da educação na atual fase de vacinação foi possibilitada pelo recebimento de 24.190 doses da vacina AstraZeneca na última sexta-feira (23), somada à expectativa de chegada de outras 45.900 mil doses nesta quinta (29).

Ainda de acordo com a secretaria, a decisão de ampliar o público-alvo foi fruto de debate com membros do MPPE e do Ministério Público Federal, e vai ocorrer em paralelo para os profissionais da educação e para "o grupo de recifenses com comorbidades, que será anunciada nos próximos dias", diz nota.

Comentários

Últimas notícias