Horário de verão

Bolsonaro fala na possibilidade da volta do horário de verão no Brasil

Segundo ele, o maior empecilho seria a própria população que segundo ele, em sua maioria, não é a favor da medida

JC
JC
Publicado em 02/08/2021 às 13:59
Notícia
MARCOS CORREA/PR
"Se a maioria da população quiser a volta, eu posso fazer isso aí", disse o presidente - FOTO: MARCOS CORREA/PR
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falou nesta segunda-feira (2) na possibilidade da volta do horário de verão no Brasil, em meio a ameaça de crise energética no País. A declaração do presidente foi feita durante entrevista á Rádio ABC de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul. 

Segundo ele, o maior empecilho seria a própria população que segundo ele, em sua maioria, não é a favor da medida. "No momento, eu sei que para alguns setores aumenta o faturamento, porque as pessoas ficam mais tempo aí frequentando o comércio, isso a gente pesa aqui também. Mas no momento não tem clima, apoio popular, para a gente voltar o horário de verão", afirmou Bolsonaro.

Mas de acordo com o presidente, se ele verificar que houve uma mudança no entendimento dos brasileiros, poderia mudar de ideia. "Se a maioria da população quiser a volta, eu posso fazer isso aí", disse.

A afirmação de Bolsonaro vem pouco depois de outro posicionamento do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, na última sexta-feira (30) de que a volta do horário de verão não está sendo cogitada pelo governo federal. 

Porém, devido a crise hídrica e pressão de vários setores da economia, a pasta solicitou um estudo do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), de acordo com o diretor-geral do órgão. 

Horário de verão

O horário de verão foi implementado entre os anos de 2008 e 2010 para possibilitar a economia do consumo de energia em 10 estados brasileiros que apresentam maior luminosidade no período entre outubro e fevereiro.

Bolsonaro suspendeu o horário de verão através de um decreto publicado em abril de 2020. Foi utilizado como base para a medida um estudo do Ministério de Minas e Energia que mostrava que o fim do instrumento haveria uma economia de R$ 100 milhões no consumo de energia para a população do País.  

Comentários

Últimas notícias