Pernambuco

Por Ramal Suape da Transnordestina, Paulo Câmara assina PEC que permite ao Estado assumir obra da ferrovia

No final do mês de julho, em entrevista ao jornal Valor Econômico, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que Pernambuco não teria mais um ramal da ferrovia

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 09/08/2021 às 17:21
Foto: Diego Nigro/ Acervo JC Imagem
Ferrovia Transnordestina - FOTO: Foto: Diego Nigro/ Acervo JC Imagem
Leitura:

Com o objetivo de contribuir para a viabilização da conclusão do Ramal Suape da Ferrovia Transnordestina, o governador Paulo Câmara (PSB) assinou, nesta segunda-feira (9), uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Estadual que concede ao Estado competência para explorar a infraestrutura e os serviços de transporte ferroviário no território pernambucano. De acordo com o Executivo, a aprovação da proposição "permitirá ampliar a competitividade logística de Pernambuco, com um modal mais econômico e sustentável ambientalmente, resultando em maiores oportunidades de emprego e renda para os pernambucanos".

No final do mês de julho, em entrevista ao jornal Valor Econômico, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que Pernambuco não teria mais um ramal da Transnordestina, pois, segundo ele, não haveria viabilidade para fazer a conexão da ferrovia até o Porto de Suape. Na mesma ocasião, ele informou que, por enquanto, o governo federal deve optar por construir apenas o trecho que vai até o Porto de Pecém, no Ceará.

>> Quase metade da bancada federal de Pernambuco já assinou carta apelando

>> Novo ministro de Bolsonaro, Ciro Nogueira liga para Paulo Câmara e acerta reunião sobre Transnordestina. Governador não quer Pernambuco sem a ferrovia

>> Transnordestina: 15 anos e R$ 6,4 bilhões depois, obra continua inacabada. Entenda a história da ferrovia

>> Transnordestina hoje: A carga procura o seu caminho

>> Ministro da infraestrutura de Bolsonaro afirma que Pernambuco não terá Ferrovia Transnordestina

Na visão de Paulo Câmara, o ramal pernambucano do equipamento seria o de execução mais viável. "Temos uma ferrovia já construída, que vai do interior do Piauí até o município de Custódia, no Sertão de Pernambuco. Todos os estudos técnicos mostram que a conclusão da Transnordestina até Suape é a opção mais viável, seja pelo percurso menor, seja pelo custo da obra a ser finalizada. Com o envio dessa emenda constitucional ao Legislativo, estamos deixando claro que todos os esforços necessários para a Transnordestina se tornar uma realidade em Pernambuco estão sendo feitos pelo Governo do Estado", detalhou o socialista.

Desde que a decisão federal foi anunciada por Tarcísio Freitas, políticos e representantes da sociedade civil do Estado têm realizado uma série de ações para tentar reverter o quadro de maneira favorável para Pernambuco. É provável, inclusive, que Paulo encontre-se nesta semana com o novo ministro da Casa Civil do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Ciro Nogueira (PP), para tratar sobre o tema. A reunião deve ocorrer em Brasília.

A construção e exploração da Ferrovia Transnordestina é uma concessão do governo federal a um grupo investidor privado. A obra, iniciada em 2006, prevê a ligação ferroviária entre municípios do interior do Piauí, produtores de minério de ferro e soja, com os portos de Pecém, no Ceará, e Suape, em Pernambuco.

Comentários

Últimas notícias