Eleições 2022

Alinhado nacionalmente com Bolsonaro, PP em Pernambuco espera compor chapa majoritária do PSB

O deputado federal Eduardo da Fonte também disse, em entrevista à Rádio Jornal, não acreditar que a "terceira via" prospere e que vai apoiar o ex-presidente Lula na corrida presidencial

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 15/09/2021 às 20:22
Notícia
PABLO VALADARES/CÂMARA DOS DEPUTADOS
Eduardo da Fonte diz que seu posicionamento na Câmara dos Deputados é de independência em relação ao governo federal - FOTO: PABLO VALADARES/CÂMARA DOS DEPUTADOS
Leitura:

O presidente estadual do Partido Progressista (PP), o deputado federal Eduardo da Fonte, afirma não trabalhar com a possibilidade de desembarcar do palanque da Frente Popular de Pernambuco, liderado pelo PSB, nas eleições de 2022. Mas, deixa claro que o partido quer estar na formação da chapa majoritária. O dirigente é  cotado como um dos pré-candidatos para a vaga ao Senado, entretanto, a leitura que tem sido feita é de que para evitar um racha no bloco partidário, a vaga possa ficar com o PSB. Dessa forma, o nome do governador Paulo Câmara seria consenso entre os possíveis postulantes. 

"É natural que o PSB indique o candidato [à governador], acho que é um ponto pacífico até porque é um partido que vem conduzindo esse processo. Como também é natural que os partidos aliados façam parte da majoritária. Nosso partido tem uma frente política e espera fazer parte da chapa majoritária da Frente Popular", declarou o progressista, em entrevista à Rádio Jornal, nesta quarta-feira (15). 

Outro ponto esclarecido por Eduardo da Fonte diz respeito ao posicionamento do partido em Pernambuco, já que a nível nacional o PP possui alinhamento com o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O presidente nacional da legenda, Ciro Nogueira, está licenciado da função e hoje é ministro-chefe da Casa Civil. Na Câmara dos Deputados, o presidente Arthur Lira (AL) foi eleito sob o apoio de Bolsonaro. 

"Nós temos um país continental, com particularidades diferentes em várias regiões. Nós temos o Sul e Sudeste mais a direita (campo político), o Norte e Nordeste mais a esquerda. O nosso partido tem uma questão interna que dá independência aos movimentos que são feito nos estados, e isso nos dá bastante tranquilidade para continuar no caminho que a gente vem construindo ao longo dos últimos 20 anos que estamos no partido em Pernambuco", afirmou da Fonte. 

"Eu tenho tido uma postura de independência ao governo Bolsonaro, desde o início do governo. Agora é muito bom as pessoas quererem ser oposição a Bolsonaro ou serem independentes, mas elas começaram o governo votando com Bolsonaro", defendeu, citando como exemplo de seu posicionamento o voto contrário a aprovação da Reforma da Previdência, defendida pelo governo federal. 

Questionado durante a entrevista à Rádio Jornal, sobre quem será o seu candidato à presidência da República, Eduardo da Fonte explicou que não acredita na prosperidade da chamada "terceira via", e que portanto, a eleição será polarizada. "No estado de Pernambuco vamos com o ex-presidente Lula", declarou. 

 

 


Comentários

Últimas notícias