Eleições 2022

'O deputado Luciano Bivar já declarou que o União Brasil terá candidato em Pernambuco', diz Miguel Coelho

Segundo o prefeito de Petrolina, futuro presidente do União Brasil não teria deixado dúvidas quando à presença do partido na corrida majoritária do próximo ano

JC
JC
Publicado em 20/10/2021 às 19:27
Notícia
DEIVID MENEZES/DIVULGAÇÃO
UNIÃO BRASIL Prefeito de Petrolina, Miguel Coelho foi o primeiro a lançar pré-candidatura ao Palácio - FOTO: DEIVID MENEZES/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Com visitas a cidades do Grande Recife, Zona da Mata e Agreste, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (DEM), inicia nesta quinta-feira (21) um giro por Pernambuco para debater os desafios socioeconômicos de cada região do Estado. De acordo com o gestor, a ideia é ouvir o sentimento da população a respeito dos mais variados temas e discutir com as lideranças das cidade visitadas possíveis soluções para os problemas de cada uma delas.

Amanhã, primeiro dia de viagem, Miguel passa por Camaragibe, Paudalho e Santa Cruz do Capibaribe. "Nós vamos fazer reuniões em todas as regiões do Estado, vamos tentar chegar a todos os municípios até o Carnaval, e a ideia é conversar com as pessoas, com as lideranças políticas, com as lideranças empresariais, culturais, sociais, religiosas, todos aqueles que fazem Pernambuco. Nós queremos compreender o que cada cidade representa, sob o ponto de vista do perfil socioeconômico para o Estado, mas também entender os desafios que elas estão enfrentando", explicou o democrata.

Pré-candidato a governador, o prefeito quer tornar-se conhecido em localidades para além da sua região natal, o Sertão, e há a expectativa de que essas viagens também sirvam para que ele ganhe mais destaque em outras áreas do Estado. Durante o final de semana, Miguel também deve passar por Recife, Ipojuca, Belo Jardim, Lajedo, São Bento do Una, Bezerros, Tabira e Afogados da Ingazeira.

>> Miguel Coelho é o meu pré-candidato, diz Mendonça Filho após convenção do novo partido União Brasil

>> 'Temos um alinhamento de pensamentos', diz Miguel Coelho sobre o governo Bolsonaro

>> Partido criado pela fusão do PSL e Democratas adota nome de União Brasil e vai usar número 44 nas urnas

>> "Em breve vou estar ao lado de Bolsonaro em Petrolina. Quem bota ideologia na frente, está no ramo errado', diz Miguel Coelho

Confira no vídeo abaixo quem são os pré-candidatos ao Governo de Pernambuco que já se apresentaram até o momento:

Filho de Fernando Bezerra Coelho (MDB), líder do governo Bolsonaro no Senado, Miguel não acompanhará o pai e o irmão, o deputado estadual Antônio Coelho (DEM), durante a passagem do presidente da República pela cidade de Sertânia, quando haverá a entrega do Ramal do Agreste, obra hídrica que deve beneficiar cerca de 2 milhões de pessoas. Em entrevista ao JC, porém, o prefeito apressou-se em frisar que a sua ausência não significa nada além de um choque de agendas e que não teria problema algum em receber Jair Bolsonaro no Sertão.

"Houve um desencontro, confirmaram (a vinda do presidente) muito em cima, o senador Fernando e o deputado Antônio vão estar em Sertânia, mas nesse horário eu estarei em Paudalho. Mas eu já antecipo a próxima pergunta e digo que isso não significa nada, até porque ontem eu estive com o ministro Rogério Marinho em Petrolina, tanto fazendo inaugurações quanto fazendo novos investimentos para a cidade e para o Vale do Sertão Pernambucano", declarou Miguel.

Apesar dessa fala, Miguel - que já afirmou ter "um alinhamento de pensamentos" com o governo federal - tem evitado agendas públicas ao lado do presidente. Ainda assim, ele diz que reconhece o trabalho que o militar da reserva teria feito pelo Estado e afirma que o Ramal do Agreste só está sendo entregue porque a obra foi colocada como prioridade pelo Palácio do Planalto. "Amanhã é um dia de celebração para Pernambuco, a inauguração do Ramal do Agreste. Essa é uma obra de R$ 1,6 bilhão e precisamos destacar que só nos últimos três anos o governo Bolsonaro investiu mais de 80% da obra, ou seja, mais de R$ 1,2 bilhão. A obra está saindo porque o governo federal priorizou ela como a principal obra hídrica do nosso Estado", detalhou.

Miguel está filiado ao DEM desde o mês de setembro, justamente quando o partido estava na reta final da fusão com o PSL, visando a criação do União Brasil. Apesar de o futuro presidente da nova legenda, o deputado federal Luciano Bivar, ter afirmado nesta semana à Folha de Pernambuco que a candidatura ao governo do Estado ainda será resolvida "compartilhadamente", o pré-candidato a governador mostra-se confiante de que estará na disputa pelo Palácio do Campo das Princesas em 2022.

"O clima dentro do futuro novo partido é o melhor possível, inclusive já houve declaração das três principais lideranças da sigla, o deputado Bivar, o deputado Fernando Filho e Mendonça Filho de que o União Brasil terá candidato a governador em Pernambuco e o nome posto é o nosso, que o Democratas traz nesse processo de fusão. Então eu estou muito animado, pois essa nova configuração vai fortalecer bastante não só a pré-candidatura, mas também no quesito formação de chapas para deputado estadual e federal. A nossa expectativa é que a gente possa montar chapas para eleger pelo menos 10 deputados estaduais e de 4 a 5 federais. Isso mostra o protagonismo e a liderança que esse partido terá no debate estadual", pontuou.

Questionado se sente algum desconforto pelo fato de Bivar ter afirmado nutrir "grande admiração" pelo governador Paulo Câmara (PSB), líder do grupo ao qual o clã Coelho faz dura oposição - e achar que ele e o socialista estão "reunidos para defender o Estado de Pernambuco", Miguel foi lacônico e limitou-se a dizer que "não".

Comentários

Últimas notícias