Carnaval 2022

"O Carnaval ainda está sendo avaliado", diz governador de Pernambuco

Segundo o governador Paulo Câmara, ainda é "muito cedo para qualquer discussão mais avançada" sobre a realização do Carnaval

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 24/11/2021 às 16:57
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
O Governo de Pernambuco tem como meta a vacinação de 90% da população até fevereiro de 2022 - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

A realização do Carnaval em 2022 não tem sido descartada, principalmente, nas regiões em que as festividades atraem, tradicionalmente, grandes aglomerações. Em Pernambuco, o assunto segue sendo avaliado, segundo o governador do Estado Paulo Câmara. "A gente não tem ainda condição de externar nada oficialmente, mas todo dia está se vendo número, taxa de contaminação, óbitos que infelizmente ainda ocorrem. Estamos vendo o que está acontecendo no mundo", declarou o gestor ao ser questionado pelo JC

"A gente já viu em 2020, onde começou a pandemia, a forma que ela chegou no Brasil, por onde chegou. Isso é um ciclo que pode vir com mais força, com menos força, que a gente está avaliando. Então, é muito cedo ainda para qualquer discussão mais avançada sobre essa questão", explicou o governador. "Agora, o maior valor é a vida, a vida sempre esteve nos nossos assuntos sendo colocada. Então, isso vai ser visto e feito da forma mais transparente e científica em relação a esse tema", completou. 

 

O secretário estadual de Saúde, André Longo, já havia dito na semana passada que, atualmente, não haveria segurança sanitária para a realização de grandes eventos como o réveillon e o Carnaval. O foco do governo estadual é chegar em fevereiro com 90% da população vacinada, inclusive com 2 milhões pessoas dos grupos mais vulneráveis, já com a dose de reforço. A meta foi projetada para esse período, porque é entre os meses de fevereiro e março que aumentam os casos de doenças respiratórias. 

“Para alcançarmos a dose de reforço, precisamos antes que as pessoas tomem a segunda dose. Ainda temos mais de 593 mil pernambucanos que estão com a segunda dose atrasada. São 593 mil pessoas em dívida com a sua própria saúde, pernambucanos que estão correndo maior risco de se contaminar gravemente com a Covid-19. Por isso, reforço meu apelo para que todos se engajem neste processo de vacinação. É fundamental o compromisso de cada um. As vacinas são as principais aliadas de cada um de nós na proteção da nossa própria vida e na vida de todos que estão a nossa volta”, reforçou André Longo, durante a última coletiva de imprensa (18), realizada no Palácio do Campo das Princesas.

Em outros locais, alguns gestores tem sido mais enfáticos sobre o assunto. O governador do Ceará, Camilo Santana (PT) declarou em suas redes sociais, o seu posicionamento contrario a realização das festas no Réveillon e no Carnaval. Ele disse que uma nova onda da covid-19, no Ceará, seria uma "tragédia". ""Qual vai ser o nível de controle? E a preocupação por conta dos indicativos que a gente acompanha no mundo inteiro, aumentando os casos? Seria uma tragédia para o Ceará uma retomada de outra onda da Covid aqui", questionou Camilo.

Comitê

Enquanto não se bate o martelo sobre autorizar ou não o Carnaval, o prefeito do Recife João Campos (PSB), anunciou na última sexta-feira (19), que propôs a criação de um comitê em parceria com as prefeituras do Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador, para garantir ações de monitoramento e formulação de políticas de saúde que cumpram recomendações sanitárias para o deliberar sobre o ciclo momesco.

“Propus ao prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, a criação de um comitê com as cidades que realizam os maiores Carnavais do Brasil. A ideia é que as nossas gestões possam discutir conjuntamente as condições sanitárias que podem balizar a realização dessa que é a maior festa do país, sempre respeitando o que as autoridades da saúde indicarem. Também vou procurar os prefeitos de Salvador, Bruno Reis; de São Paulo, Ricardo Nunes; e de Belo Horizonte, Alexandre Kalil. Nossas cidades precisam conversar para que possamos ter uma unidade sobre esse assunto”, destacou Campos.

LICITAÇÃO

Mesmo diante da indefinição sobre o carnaval, a Prefeitura do Recife (PCR) abriu licitação para contratação de serviços para a realização da festa momesca em 2022. As informações foram publicadas no Blog de Jamildo.

O valor global máximo admitido para esta licitação, segundo o edital oficial, é de R$ 1.127.853,26 (um milhão cento e vinte e sete mil oitocentos e cinquenta e três reais e vinte e seis centavos). O custo poderá diminuir, com a disputa entre as empresas interessadas.

A licitação está sendo conduzida pela EMLURB, estatal da Prefeitura de limpeza urbana, na forma de pregão eletrônico. A Prefeitura já definiu a data para abertura das propostas das empresas interessadas, em 6 de dezembro.

Comentários

Últimas notícias