Disputa Tucana

Doria vence prévias e será o candidato à presidência pelo PSDB em 2022

Disputaram a vaga de presidenciável, os governadores de São Paulo, João Doria, e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, além do ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio

Adriana Guarda
Adriana Guarda
Publicado em 27/11/2021 às 19:21
Notícia
BAND/REPRODUÇÃO
João Doria disputará eleições presidenciais mais ma vez em 2022 - FOTO: BAND/REPRODUÇÃO
Leitura:

O governador de São Paulo, João Doria, venceu, neste sábado (27), as prévias tucanas para decidir o nome do partido que deverá disputar a eleição presidencial em 2022. Não foi uma eleição tranquila. Ela deveria ter acontecido no último domingo (21), mas foi marcada por tumulto e suspensa.

Além de Doria, participaram da disputa pela vaga de presidenciável o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio. A vitória de Doria foi divulgada pelas redes sociais do PSDB, com o presidente do partido, Bruno Araújo, fazendo o anúncio. 

O motivo da suspensão da disputa na semana passada foi o aplicativo utilizado na votação, que se mostrou vulnerável e sofreu uma série de ataques. Para realizar uma nova votação neste sábado, foi necessário contratar um novo aplicativo.

De acordo com o presidente do PSDB, Bruno Araújo, o novo sistema também foi alvo de mais de 26 mil tentativas de invasão nesta nova votação, mas resistiu. Cerca de 40 mil filiados que não conseguiram votar no domingo passado registraram sua opção para a Presidência em 2022.

João Doria, obteve 53,99% dos votos nas prévias. Em segundo lugar, Eduardo Leite ficou com 44,66%. Já Arthur Virgílio obteve 1,35% dos votos. As informações foram divulgadas pelo PSDB. De acordo com o partido, cerca de 30 mil filiados participaram do processo.

Caminho

Após a eleição conturbada, o próximo desafio de Doria será unir o partido em torno do seu nome, depois que houve até acusação de compra de votos. Outra missão será conquistar os eleitores que estão em busca de uma terceira via, com o objetivo de conseguir votos dos eleitores que não querem votar em no presidente Bolsonaro nem no ex-presidente Lula. Até agora, as pesquisas apontam uma repetição do que aconteceu em 2018, com uma forte polarização. 

Além disso, o candidato tucano terá que trabalhar para consolidar-se no campo da chamada terceira via, que tem o objetivo de conquistar votos dos eleitores que não querem Bolsonaro nem Lula. Até agora, as pesquisas indicam que o presidente da República e o petista concentram mais de 60% das intenções de voto.

ALIANÇAS

Doria terá, ainda, o desafio de arrumar as alianças para o ano que vem. Isso dependerá de muitas conversas com outras legendas que também já lançaram seus nomes ou que devem anunciar candidaturas nos próximos dias. É o caso do Podemos, que apresenta o ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro e o MDB, que tem como nome a senadora Simone Tebet (MS).

 

 

Comentários

Últimas notícias