Eleições 2022

Meira condiciona aliança com Anderson Ferreira a rompimento com Raquel Lyra

Presidente do PTB-PE, Meira disse que a sigla está de portas abertas para receber o ministro do Turismo, Gilson Machado, e a deputada estadual Clarissa Tércio. É ventilado que eles poderiam formar uma chapa para 2022

Luisa Farias
Cadastrado por
Luisa Farias
Publicado em 01/12/2021 às 21:36 | Atualizado em 01/12/2021 às 21:42
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Em entrevista recente, Meira afirmou que situação do PTB em Pernambuco é "muito difícil" - FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Leitura:

O presidente estadual do PTB, Coronel Luiz Meira, não vislumbra um cenário em que seja conciliável em Pernambuco uma aliança do PL, que na terça (30) filiou o presidente Jair Bolsonaro, e o PSDB, presidido por Raquel Lyra e que terá como candidato à Presidência da República o governador de São Paulo, João Doria. 

Segundo Meira, o PTB segue está de "portas abertas" para receber aliados de Bolsonaro no estado. "Continua esse quadro aí em que Anderson continua alinhado (com o PSDB). Fica meio difícil quem faz política entender essa situação, imagine o eleitor, no mesmo grupo estarem com Doria e outro partido com Bolsonaro, acho que não tem como isso prosperar", argumentou Meira ao JC

Ele ressaltou ainda que, dos partidos que integram a base aliada de Bolsonaro, o PTB é um dos poucos que em Pernambuco está no mesmo espectro político, ao contrário de siglas com o o Republicanos e o PP, integrantes da Frente Popular liderada pelo PSB.

"Em Pernambuco o único partido hoje que tem condições de abrigar todos os bolsonarianos além do PL é o PTB. Em cada estado vai ter casos para se ajustar, em alguns o PL não está alinhado ainda com os bolsonarianos",lembrou o presidente do PTB.

A dificuldade maior é justamente nos estados do Nordeste, onde o PL pende para alianças com lideranças da esquerda, apesar de em Pernambuco ele estar alinhado com pautas mais conservadoras.

Para Meira, a única chance do seu partido e o de Anderson estarem alinhados na eleição de 2022 seria no caso do prefeito se deslocar da aliança com o PSDB e o Cidadania. 

"Ele (Anderson) se descolando, colocando realmente o palanque para Bolsonaro, a gente com certeza vai estar alinhado. Vamos fazer a campanha voltada para esse objetivo maior, não cabe a gente estar com dubiedade, a gente é 100% Bolsonaro tanto a nível nacional como a nível dos estados", relatou. 

O deputado estadual Joel da Harpa, que recebeu convite para entrar no PL, a configuração dos estados deve ser respeitada apesar dos arranjos a nível estadual, e a construção de Anderson e Raquel é positiva no âmbito da oposição no estado, que conversa inclusive com a pré-candidatura de Miguel Coelho (DEM). 

"A gente acredita que dentro dessa possibilidade de duas candidaturas, um dos dois grupos deve ir para o segundo turno e devem ser atrelados a um grupo só no segundo. Independente dessa questão majoritária, tem identidade de oposição (ao PSB), e Bolsonaro também tem. Eu acho que é uma coisa que pode ser conversada e entendida dentro do ambiente político, mas não desmanchando essa conjuntura estadual", ponderou. 

 

Gilson Machado

Segundo o Blog de Jamildo, Gilson Machado pode integrar em Pernambuco uma chapa encabeçada pela deputada estadual Clarissa Tércio (PSC), para atrair a base fiel bolsonarista. Além do PL, o próprio PTB seria uma opção. Gilson concorreria ao Senado e Clarissa ao governo estadual. Segundo Meira, em meados de 9 de dezembro, quando o ministro volta de Madri, na Espanha, onde participa da Assembleia Geral da Organização Mundial do Turismo (OMT). 

O Coronel Meira classificou o ministro do Turismo como um bom quadro para integrar as hostes do partido. "O ministro é um excelente quadro, está fazendo um belo trabalho a frente do ministério, hoje mesmo está em Madri. Pela primeira vez temos um ministro participando da Organização Mundial de Turismo. Se ele decidir vir para o PTB será muito bem percebido juntamente com Clarissa Tércio, outro nome presente. E a gente fica aguardando, o partido está preparado", afirmou. 

Ele desferiu elogios para Clarissa, que hoje está no PSC do deputado federal André Ferreira, irmão de Anderson. Também apontou dificuldades para ela cogitar uma entrada no PL, na avaliação dele. "Tenho conversado muito com a Clarissa Tércio, mas ela tem dificuldades de estar com os Ferreira, os problemas que todo Pernambuco sabe. Não há alinhamento dela com os Ferreiras, não vejo como ela ir para outro partido. Acho que o PP não tem como", avaliou. 

Joel da Harpa diz não acreditar na viabilidade de Clarissa em uma chapa majoritária. "Clarissa está fazendo um bom trabalho na Alepe. Tem também a possibilidade de Júnior Tércio disputar a vaga de deputado federal. No meu entendimento esse deve ser o caminho dela, da reeleição. Ela só tem que se definir para qual partido que iria, mas para ser candidata proporcional", acredita. 

O JC procurou Clarissa Tércio e Gilson Machado para comentar sobre o assunto, mas não obteve retorno até a última atualização desta matéria. 

Comentários

Últimas notícias