Eleições 2022

Raquel Lyra fala em diálogo com Miguel Coelho, mas não garante espaço para a pré-candidatura do aliado no seu grupo

Hoje, Raquel e Anderson Ferreira lideram o Movimento Levanta Pernambuco e são pré-candidatos ao Palácio do Campo das Princesas. Miguel, por sua vez, colocou o seu nome à disposição do Democratas para a disputa estadual

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 22/12/2021 às 22:00
PSDB/DIVULGAÇÃO
LEVANTA PE Último evento da pré-campanha em 2021 ocorreu em Jaboatão, reduto de Anderson Ferreira - FOTO: PSDB/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Um dia após o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (DEM), afirmar que está voltando a dialogar sobre as eleições de 2022 com a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), e que gostaria de vê-la no seu palanque, a tucana declarou que o seu grupo político está de portas abertas para receber o aliado. Hoje, Raquel e o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL), lideram o Movimento Levanta Pernambuco e são pré-candidatos ao Palácio do Campo das Princesas. Miguel, por sua vez, colocou o seu nome à disposição do Democratas para a disputa estadual.

“Miguel faz parte da oposição e é sempre convidado a participar do nosso movimento. Nós estamos aqui sufocando projetos pessoais em torno de um projeto coletivo e Miguel faz parte disso. Nós passamos por um hiato (na relação) mas vamos continuar dialogando com ele como com todas as outras forças que entendam que não é bom o estado em que a gente se encontra”, disse a gestora, na noite desta quarta-feira (22), ao lado de Anderson Ferreira após último evento do Levanta Pernambuco de 2021, realizado em Jaboatão dos Guararapes.

>> Centro-direita deixa para 2022 decisão sobre lançar uma ou mais candidaturas em Pernambuco, diz Miguel Coelho

>> Miguel nega rompimento do clã Coelho com o governo federal e reafirma que Fernando Bezerra não disputará eleição em 2022

>> Raquel Lyra e Anderson Ferreira lançam movimento 'Levanta Pernambuco'

>> Miguel Coelho diz que não há espaço para mais de duas candidaturas de oposição

Miguel Coelho lançou a sua pré-candidatura a governador em setembro deste ano, poucos dias depois de PSDB, PL, PSC e Cidadania anunciarem que estariam juntos nas eleições. Antes disso, todos faziam parte do mesmo bloco político. Segundo Raquel, o reencontro com o gestor sertanejo ocorreu na última quarta-feira (15), apenas um dia depois que o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), pai de Miguel, perdeu no Senado a votação que poderia lhe garantir uma vaga no Tribunal de Contas da União (TCU). “Eu recebi uma ligação, ele disse que estava indo para o recife, eu também estava, então nos encontramos e tomamos um café”.

As falas dos prefeitos mostram que, embora pareçam dispostos a trabalhar por uma reaproximação, nenhum dos grupos pretende abrir mão da candidatura ao governo. Para a deputada estadual Priscila Krause (DEM), por exemplo, mesmo que Miguel se junte ao Levanta Pernambuco, o grupo deveria continuar tendo apenas Raquel e Anderson como opções para a chefia do Executivo estadual.

“O próprio Miguel antecipou a fulanização das pré-candidaturas. Isso é um fato, não um julgamento. O nosso grupo está aberto, até mesmo para outras pessoas, mas no meu entendimento o Levanta Pernambuco tem que trabalhar com os elementos que tem, estão postos e reconhecem o movimento, que são Anderson e Raquel”, frisou a parlamentar, que já anunciou que deixará o DEM.

Na ocasião, os prefeitos de Caruaru e Jaboatão afirmaram que ficou para o próximo ano a decisão sobre quem será escolhido pelo bloco para encabeçar a chapa majoritária. Os gestores declararam, ainda, que não há um prazo para essa definição, mas que voltarão a se reunir para retomar o debate sobre o tema já em janeiro.

BOLSONARO

Questionado se a entrada do presidente Jair Bolsonaro (PL) no seu partido teria algum peso na decisão que tomará em 2022 quanto ao seu futuro político, Anderson Ferreira tergiversou e disse que acredita ser importante focar o debate eleitoral em temas ligados a Pernambuco. “Todo mundo acha bom quando um presidente entra no seu partido, mas o projeto que nós temos para Pernambuco é amplo, nós vamos fazer essa junção e a união de todos os pernambucanos. Isso é o que é importante”, afirmou.

Em sua fala, Anderson também declarou não ver problemas em estar no mesmo palanque de Raquel Lyra, que deve apoiar João Doria (PSDB) para presidente, ferrenho opositor de Bolsonaro. “A gente está vendo (Geraldo) Alckmin (sem partido) e Lula (PT). Isso é mais simples do que a gente acha. Cada partido hoje tem um candidato a presidente, então eu sequer posso entrar nesse debate sem saber quem são os candidatos”, concluiu o prefeito de Jaboatão.

Comentários

Últimas notícias