Disputa

Conflito no PT com saída de Marília Arraes faz aliados do PSB pedirem reinício de discussão sobre o Senado

O deputado federal Silvio Costa Filho afirmou que é preciso fazer "uma construção coletiva" sobre a montagem da chapa

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 24/03/2022 às 15:48
JC IMAGEM
Sílvio Costa Filho preside o Republicanos em Pernambuco - FOTO: JC IMAGEM
Leitura:

Com saída da deputada federal Marília Arraes do PT, que deverá ser anunciada nesta sexta-feira (24), após ter sido indicada pelo Grupo Tático Eleitoral do partido para ser candidata a senadora na chapa encabeçada pelo pré-candidato a governador, o deputado federal Danilo Cabral (PSB), integrantes da Frente Popular passaram a defender que o processo sobre essa postulação seja reiniciada.

Desde que o PT passou a reivindicar o direito de apresentar um nome para o Senado, aliados da Frente Popular de Pernambuco ecoaram a tese da "fila de espera", alegando que os nomes colocados por outros partidos não fossem excluídos da discussão, até pela fidelidade que demonstraram ter ao longo destes quase 16 anos de governo.  

Entre os nomes colocados a disposição estão os dos deputados federais Silvio Costa Filho (Republicanos), Wolney Queiroz (PDT), Eduardo da Fonte (PP), André de Paula (PSD) e a vice-governadora Luciana Santos (PCdoB).

 

"Nesse momento, nós precisamos fazer uma construção coletiva e buscar a unidade do conjunto de forças. O PT, sem dúvidas, é um partido muito importante na Frente Popular e tem a legitimidade de poder participar da composição majoritária. Entretanto, na medida que o PT apresenta um nome para o Senado, que foi o nome da deputada Marília Arraes, e ela não aceita esse convite feito pelo partido, entendo que o processo em Pernambuco precisa ser reiniciado", avaliou o presidente estadual do Republicanos, o deputado federal Silvio Costa Filho. 

Ele destacou que  é importante que a composição da chapa seja construída de forma coletiva entre as siglas da coligação. O parlamentar considera que "é preciso, mais do que nunca, que os projetos pessoais e partidários devam ser sobrestados e a ordem do dia deve ser a unidade". "Para que tenhamos uma bela vitória em Pernambuco", disse.

Apesar de ter seu nome lembrado como opção majoritária da Frente Popular para disputar o Senado, o parlamentar frisa que não tem pressa. "Sempre deixei claro que não tenho pressa. Pode ser agora ou em 2026. Tancredo Neves já dizia que um dos maiores ativos na política é o tempo", declarou Costa Filho. 


Comentários

Últimas notícias