ADIAMENTO

Vereador da oposição pede suspensão da licitação da obra do Mercado de São José e maior debate com permissionários

Com investimento na ordem de mais de R$ 20 milhões, a abertura do processo licitatório será no dia 20 de abril

Mirella Araújo
Cadastrado por
Mirella Araújo
Publicado em 18/04/2022 às 17:59 | Atualizado em 18/04/2022 às 18:00
ALEXANDRE AROEIRA/ JC IMAGEM.
projeto da nova reforma do Mercado terá investimento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) - FOTO: ALEXANDRE AROEIRA/ JC IMAGEM.
Leitura:

Líder da oposição na Câmara de Vereadores do Recife, Renato Antunes (PSC) pediu à Prefeitura do Recife a suspensão da licitação na obra do Mercado de São José. A abertura do processo licitatório será feita nesta quarta-feira (20). Com investimento na ordem de mais de R$ 20 milhões, as obras serão executadas pela Autarquia de Urbanização do Recife (URB).

Segundo o vereador, o Executivo precisa promover um maior debate com a cadeia produtiva do mercado. “O Mercado de São José é um patrimônio do nosso povo, da história de Pernambuco e do Recife. As obras que serão realizadas pela Prefeitura deverão colocar o local em um novo patamar, modernizando e atraindo ainda mais a atenção para o espaço. Mas na minha visão e de muitos recifenses, esse projeto precisa ser melhor esclarecido para os comerciantes e permissionários”, declarou Antunes, nesta segunda-feira (18).



“Não se pode mudar toda a estrutura do Mercado, sem ouvir e discutir com quem faz aquele espaço público. Faço um apelo ao governo municipal, menos pressa e mais responsabilidade com todos que fazem o Mercado de São José”, completou o parlamentar.

Inaugurado em setembro de 1875, o Mercado de São José tem arquitetura em ferro típica do século XIX e ocupa uma área coberta de 3.541 metros quadrados. O prédio é formado por dois pavilhões, com 377 compartimentos de diversos produtos; 27 pedras de peixe; 34 barracas internas – para vender comidas e caldo de cana – e outras 70 espalhadas pela calçada do pátio. Atualmente, são 545 boxes no total.

A última reforma de grande porte no local aconteceu em 1998. O projeto da nova reforma do Mercado terá investimento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “Há uma angústia instalada em todos os comerciantes, e há um pedido de muitos deles para que o projeto seja melhor discutido. Pedimos a suspensão do processo licitatório, para uma melhor discussão e debate entre os permissionários, muitos deles, que atuam no mercado há mais de 50, 60 anos”, declarou Renato Antunes.

Veja como vai ficar a reforma do Mercado de São José, no Recife:

Comentários

Últimas notícias