ELEIÇÕES 2022

Luciano Bivar revela motivo de candidatura à Câmara e critica indiretamente Bolsonaro: "É preciso preservar a Democracia"

Presidente nacional do União Brasil esteve presente na convenção que lança o nome do Miguel Coelho ao governo de Pernambuco

Lucas Moraes Renata Monteiro
Cadastrado por
Lucas Moraes
Renata Monteiro
Publicado em 31/07/2022 às 17:08 | Atualizado em 31/07/2022 às 21:04
REPRODUÇÃO
LUCIANO BIVAR, CONVENÇÃO MIGUEL COELHO - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

 O presidente nacional do União Brasil (UB), Luciano Bivar, confirmou na convenção do partido que oficializa a candidatura de Miguel Coelho (UB) ao governo de Pernambuco, que "resolveu voltar à Câmara Federal", "para continuar presidindo o partido com a força que tem". Bivar havia anunciado pré-candidatura à presidência da República, mas desistiu na última sexta-feira em meio a avanços do PT em busca do apoio do União, para garantir maior tempo de TV. 

O presidente Nacional do União Brasil também anunciou que a senadora do Mato Grosso do Sul, Soraya Thronicke, será a candidata do partido ao Palácio do Planalto. "Vamos apresentar nos próximos dias como uma alternativa para o nosso País a senadora Soraya", discursou Luciano Bivar.

Bivar foi um dos principais personagens na eleição do presidente Jair Bolsonaro em 2018, quando cedeu o seu partido, à época PSL, para abrigar a candidatura do atual mandatário, teceu críticas indiretas ao presidente da República na tarde deste domingo. 

"O União Brasil pretende, com a fusão dos dois partidos (DEM  e PSL), dar segurança política institucional, porque eu talvez sou um dos poucos a estar aqui que vivi um momento delicado quando era estudante da faculdade de Direito. A gente precisa antes de tudo preservar a nossa Democracia, preservar nossa liberdade, de tantos jovens que querem realmente prestar o seu trabalho e sua inteligência em desenvolvimento do nosso País", afirmou Bivar. 

Os ataques ao sistema democrático têm partido por reiteradas vezes do presidente Jair Bolsonaro e de seus apoiadores mais radicais. 

Bivar abrigou Bolsonaro no PSL nas eleições de 2018. A legenda passou então a contar com a pairo parte das verbas do fundo eleitoral, e agora se fundiu com o DEM, dando origem ao União Brasil. Bolsonaro concorre à releição pelo PL. 

Acompanhe ao vivo a convenção para lançamento da candidatura de Miguel Coelho:

 

 

Comentários

Últimas notícias