MPF aponta discurso de ódio contra mulheres e pede condenação de Sikêra Júnior

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 08/06/2021 às 11:29
O jornalista Sikêra Junior (Foto: Reprodução/Interent)
O jornalista Sikêra Junior (Foto: Reprodução/Interent)
Leitura:

O Ministério Público Federal (MPF) pediu, através do ajuizamento de ação civil pública, a condenação de Sikêra Júnior por dano moral coletivo. A instituição aponta "discurso de ódio às mulheres" promovido pelo apresentador durante seu programa, o Cidade em ação (TV Arapuan).

A ação é baseada na fala de Sikêra Júnior no dia cinco de junho de 2018. Nessa data, o apresentador do programa policial teria proferido falas racistas e misóginas ao comentar notícia envolvendo uma mulher negra, presa sob custódia na Paraíba.

Na ocasião, ele a chamou de "sebosa" e fez comentários sobre o nariz da mulher. O episódio pode ser conferido acima.

O Ministério Público estaria pedindo uma indenização de R$ 200 mil a em benefício da mulher, além de mais R$ 2 milhões para entidades feministas ou de direitos humanos. A entidade também quer uma retratação do apresentador nas redes sociais e na própria TV Arapuan.

LEIA TAMBÉM
> “Há males que vêm para o bem”, escreve Nego do Borel antes de apagar publicação
> Irmã do rapper Criolo morre por conta da Covid-19

"O réu, apresentador do programa Cidade em Ação, transmitido de forma ao vivo, realizou discurso de ódio (hate speach), ao proferir falas discriminatórias, machistas e misóginas em face do sexo feminino. (...) O desígnio do réu é claramente escarnecer com a personalidade de uma mulher em situação de vulnerabilidade social (pobre, vítima das drogas e com a liberdade cerceada) que sequer pôde exercer seu direito de resposta, por estar sob custódia do Estado", aponta a ação.

O apresentador ainda não se pronunciou sobre a ação.

Últimas notícias