CENSURA

LUVA DE PEDREIRO: Globo se pronuncia sobre entrevista barrada por meio de liminar: 'viola liberdade de expressão'; entenda

Entrevistas do Luva de Pedreiro foram barradas por meio de liminar na Justiça

Lívia Maria
Lívia Maria
Publicado em 03/07/2022 às 23:13 | Atualizado em 03/07/2022 às 23:34
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
O influenciador Iran Ferreira, conhecido como Luva de Pedreiro, conta com mais de 14 milhões de seguidores no Instagram - FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Leitura:

A entrevista de Luva de Pedreiro contando detalhes sobre o ocorrido com o ex-empresário Allan Jesus, que iria ao ar no Fantástico deste domingo (3) foi barrada por meio de uma liminar. O influenciador usou as redes sociais para explicar que as reportagens foram censuradas.

Segundo o Luva, "estão tentando calar" sua boca, mas ele não informo que foi o responsável pela ação.

"Aí minha tropa, agora foi que deu. Estão tentando me calar, estão tentando calar a minha boca. Quem sofreu foi eu, quem sentiu foi eu. Entraram com a liminar aí, que não é para passar a entrevista sobre eu falando sobre o assunto que todo mundo já sabe aí", iniciou.

Globo diz que irá recorrer da decisão

No 'Fantástico' deste domingo (3) foi exibida a reportagem mostrando como Luva de Pedreiro se tornou popular nas redes sociais, por meio dos seus vídeos no TikTok.

A reportagem também mostrou como a vida do jovem mudou após fechar com o novo empresário, Falcão. Agora, ele mora no Recife, em uma casa de frente para o mar. Sem citar os detalhes do acordo entre Iran e Allan Jesus, a emissora revelou que irá recorrer da decisão em defesa do jornalismo.

A Globo disse que não compactua com nenhum "discurso de ódio" contra o ex-empresário, argumento usado para barrar a divulgação do caso na reportagem. Entretanto, ressaltou que o jornalismo deve ouvir "com isenção todos os lados da notícia", além de produzir conhecimento sobre os fatos e levar os acontecimentos relevantes ao conhecimento da sociedade.

"A Rede Globo entende que a liminar concedida viola a liberdade de imprensa e de expressão, pilares da democracia e protegidas pela Constituição brasileira. Por isso, vai recorrer da decisão", disse.

Comentários

Últimas notícias