SERÁ?

BBB 22: Paulo André pode perder Bolsa Atleta por estar no Big Brother? Confira

Ministro da Cidadania afirmou que está investigando se Paulo André pode ter Bolsa Atleta suspensa

Lívia Maria
Lívia Maria
Publicado em 14/03/2022 às 20:33
REPRODUÇÃO/WAGNER CARMO/CBAT
Quem será o campeão do BBB 22? Final é entre Arthur Aguiar, Douglas Silva e Paulo André - FOTO: REPRODUÇÃO/WAGNER CARMO/CBAT
Leitura:

O Ministro da Cidadania, João Roma, revelou que está verificando se o atleta Paulo André poderá perder a Bolsa Atleta que recebe do governo por estar no Big Brother Brasil. O velocista recebe o auxílio no valor de R$1.800 mensais, mas, de acordo com o Ministro, pode vir a perder.

"Se ele está no programa e recebendo o Bolsa Atleta, eu acredito que possa ser cortado sim. Vou até verificar", afirmou, à revista Veja.

A equipe de Paulo André se prontificou a explicar a situação e esclarecer que o atleta recebe o auxílio referente ao ano de 2021 e que ele retomará a carreira no atletismo ainda no segundo semestre de 2022. “Todos os benefícios do PA atualmente são referentes ao desempenho dele no ano de 2021. E ao sair do 'BBB' a carreira de atleta continuará. PA irá competir no segundo semestre de 2022”, disse a equipe responsável pelas redes sociais do atleta.

Paulo André pode perder a Bolsa Atleta?

Segundo apuração do jornalista de esportes Demétrio Vecchioli, do UOL, não existe possibilidade de Paulo André perder o auxílio que recebe. O edital que rege o Bolsa Atleta (10.891/2004) prevê apenas uma situação na qual o atleta contemplado perde o benefício: caso receba gancho por ‘doping’.

O edital que contemplou Paulo com as 12 parcelas de R$ 1.850 foi aberto em janeiro de 2021 e “olha para trás, não para frente”, diz o jornalista. Os critérios utilizados para premiar um atleta com o auxílio inclui o desempenho do mesmo no ano anterior ao edital. No caso de Paulo, considera que ele foi campeão mundial em 2020.

Ainda segundo o jornalista, no edital não existe exigência “de que o esportista beneficiado treine de forma consecutiva”. O edital contempla anualmente cerca de 6 mil atletas de todo o país e, apesar de não exigir dedicação exclusiva, tem mecanismos para evitar fraudes.

“As confederações precisam avisar quando bolsistas se desfiliam ou comunicam que estão encerrando a carreira, e, mesmo assim, não há nada no edital que exija que, nestes casos, o governo suspenda a bolsa”, afirma o jornalista.

No caso de Paulo André, o atleta continua registrado na Confederação Brasileira de Atletismo, que deverá julgar se o mesmo poderá ser elegível para o edital do Bolsa Atleta em 2022. Sobre o atual edital, o atleta segue dentro dos requisitos propostos, inclusive, tendo participado de competições durante o ano de 2021: as Olimpíadas de Tóquio.

Comentários

Últimas notícias