SAÚDE

ESTÉTICA E GRAVIDEZ: Alterações na pele causadas pelos hormônios durante a gestação requerem cuidados especializados; dermatologista explica

Durante a gravidez, o corpo da mulher passa por grandes mudanças hormonais que podem afetar a pele de diferentes maneiras

Lívia Maria
Lívia Maria
Publicado em 17/05/2022 às 18:16 | Atualizado em 17/05/2022 às 18:19
RODNAE Productions/Pexels
Grávidas precisam tomar cuidados específicos com a pele para garantir a saúde durante a gestação - FOTO: RODNAE Productions/Pexels
Leitura:

O momento da gravidez é repleto de muita descoberta, dúvidas e mudanças para todo corpo feminino. Uma das principais modificações acontece na pele, esse que é o maior órgão humano e carrega tão fortemente nossa história.

Durante os nove meses de gestação podem ocorrer modificações pigmentares, como o melasma, e hiperpigmentação, que em geral causa o escurecimento da aréola mamária e o aumento de sinais na pele.

Além disso, também podem surgir outros fatores como estrias, aparecimento de acne, aumento de pelos, alterações nas unhas, ressecamento, flacidez, diminuição da elasticidade da pele, perda dos coxins adiposos de gordura do rosto, olheiras, celulite e, em casos de cesárea, a cicatriz.

Misturado com as expectativas e medos pela nova vida que se forma em seu corpo, muitas mamães ficam desnorteadas sem saber o que fazer com o surgimento dessas alterações.

"É importante ressaltar que uma grávida precisa de uma equipe especializada para cuidar da sua saúde de forma integrativa. Uma boa obstetra é essencial. Aliada à presença de outros especialistas também capacitados, a mulher vai passar por esse período muito mais facilmente", comenta a médica dermatologista Gleyce Fortaleza.

Quais as mudanças na pele durante a gravidez?

Durante o período de gestação, a pele da mulher sofre, em decorrência das alterações hormonais, uma possibilidade de alterações, que se dividem em fisiológicas, dermatoses pré-existentes agravadas e dermatoses da gravidez. Gleyce pontua alguns casos:

  • Muito comuns, as alterações de pigmentação afetam cerca de 90% das grávidas, sendo mais frequentes em pessoas de pele mais clara. Além do melasma (aparecimento de manchas hiperpigmentadas na zona centro-facial, distribuídas simetricamente), existem casos de hiperpigmentação generalizada com acentuação da cor da linha média abdominal e das regiões normalmente mais pigmentadas, como as aréolas mamárias, mamilos, axilas, períneo, genitais, e face interna das coxas. Comumente, essas alterações desaparecem após a gravidez. O tratamento para despigmentar, em todos esses casos, são contraindicados para grávidas pois podem oferecer riscos ao bebê.
  • Muito frequentes, especialmente a partir da 24ª semana, as estrias afetam o abdômen, mamas, glúteos e coxas. Caracterizadas pela ruptura de colágeno e elastina da pele, as estrias surgem da soma da tensão mecânica da pele e o aumento de estrógenos e progesterona. A condução dessas vai no pós-parto associando tratamentos como microagulhamentos e alguns tipos de lasers. O mesmo vale para as celulites, que tendem a desaparecer após o período, mas que podem também ser melhoradas com a realização de drenagens linfáticas.
  • Eventuais perdas de gordura e elasticidade na face podem ser tratadas com associação de bioestimuladores de colágeno e preenchedores

Ainda, existe durante a gravidez um fenômeno chamado hirsutismo, ou seja, o aumento da pilosidade do corpo e ainda eflúvio telógeno, a queda de cabelo graças ao ambiente muito concentrado de estrógeno no corpo.

As unhas também podem sofrer estriação, onicólise distal e ainda hiperceratocose. Todas essas alterações devem ser acompanhadas de perto por um médico dermatologista associado ao obstetra para o devido diagnóstico e condução.

As mudanças no corpo feminino nessa fase da vida são ocasionadas por diversos fatores, entre eles a alteração de hormônios que acontece para a formação do feto. No entanto, Fortaleza explica que a carga hormonal não é a única razão para que haja mudanças nos aspectos da pele da grávida.

"A sensibilidade da pele durante a gravidez, por exemplo, pode acontecer devido às alterações vasculares, caracterizada pelo aumento da quantidade de vasos sanguíneos", explica.

Quais são os cuidados com a pele que a grávida deve ter?

O uso de filtro solar, não só na gestação, é imprescindível. Além disso, a hidratação deve ser reforçada.

"Costumo recomendar uma hidratação forte para a pele feminina em gestação, tanto oral, ingerindo bastante água, quanto em cremes, para aumentar a elasticidade da pele e prevenir estrias. Existem produtos específicos que podemos utilizar e que não são nocivos à mamãe e ao bebê", afirma.

Outro cosmético indicado pela dermatologista é o uso da água termal, que tende a reduzir a sensibilidade da pele ao mesmo tempo em que nutre.

No campo dos tratamentos estéticos, é importante que as mães fiquem atentas, já que não é todo procedimento que é liberado durante a fase de gestação.

"Tratamentos como limpeza facial e peeling de cristal, para melhoria nos aspectos da pele do rosto, e drenagem linfática, para a melhora na sensação de inchaço, são liberados. Mas é preciso estar atenta aos produtos utilizados nessas sessões. Confira sempre com o seu profissional de confiança se é liberado mesmo", declara a dermatologista.

O pós-parto também merece cuidados. Gleyce fala que “a única restrição que a mulher tem no momento do pós parto acontece por causa da amamentação. Ainda que as substâncias não passem para o leite materno, o ideal é ter cuidado com alguns tipos de substâncias como o ácido salicílico usado naturalmente para o tratamento para a acne”, explica.

Todos esses casos precisam de apoio de médicos dermatologistas devidamente associados aos quadros da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Comentários

Últimas notícias