Blog do Torcedor - Tudo de Brasileirão, futebol internacional, Fórmula 1, NBA, NFL e todos os esportes
Torcedor

Notícias do Brasileirão; de Náutico, Santa Cruz e Sport; e futebol internacional. Fórmula 1, NBA, NFL e todos os esportes com análise, interatividade e opinião

importunação

Filha de Renato Gaúcho, Carol Portaluppi revela que sofreu agressão sexual: "Enfiou garrafa na minha b..."

Caso aconteceu no meio da rua, no bairro do Leblon

Haim Ferreira
Haim Ferreira
Publicado em 17/12/2021 às 12:51 | Atualizado em 17/12/2021 às 13:04
REPRODUÇÃO DO INSTAGRAM
Carol Portaluppi ao lado do seu pai, Renato Gaúcho - FOTO: REPRODUÇÃO DO INSTAGRAM
Leitura:

Carol Portaluppi, filha de Renato Gaúcho, ex-treinador do Flamengo, revelou na noite da última quinta-feira (16), que sofreu um grave episódio de agressão sexual. Segundo a carioca de 27 anos, ela estava andando no bairro do Leblon, zona sul do Rio de Janeiro, quando um homem veio em sua direção e começou a lhe xingar. Em seguida, ele teria enfiado uma garrafa na sua bunda. Todo relato foi postado nos stories da influenciadora digital.

Bastante abalada, Carol não quis se prolongar no assunto e disse que só estava gravando o vídeo pois muitos fãs estavam preocupados com ela. 

> Filha de Renato Gaúcho detona torcida do Flamengo: ''Vergonha''

> Jogador do Atlético-MG se envolve em briga com torcedor do Cruzeiro; veja vídeo

> Florentín, técnico do Sport, solta o verbo sobre Renato Gaúcho: "queria olhá-lo na cara como homem"

"Eu estou sem vontade de falar nenhuma. Eu estou falando porque tem muita gente vindo falar comigo, amigos do Instagram. Só vim dar uma certa satisfação... Me abalou muito porque me senti bem agredida, bem assediada", comentou.

Além da importunação sexual, que é um crime previsto no Art. 215 do Código Penal, outra coisa que lhe chocou foi o fato da indiferença das pessoas que estavam na rua quando isso aconteceu.

> Patrocinador cobra explicações do Náutico sobre episódio de importunação sexual de funcionário

> De novo? Jogo do Atlético-MG volta a registrar casos de importunação sexual contra mulheres

"Eu fiquei tão assustada na hora que eu não tive reação, só consegui continuar andando. A rua estava cheia, ninguém fez nada. Eu não sei se as pessoas se assustaram... Eu nunca me senti tão impotente em toda a minha vida, as pernas tremendo muito. Sei lá, vontade de gritar, pedir ajuda. Ao mesmo tempo continuei andando e mantive a calma", finalizou.

Comentários

Últimas notícias