cepa indiana

São Paulo identifica primeiro caso da variante indiana do coronavírus

O paciente tem 32 anos, é morador de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, e desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos no dia 22 de maio

JC Estadão Conteúdo
JC
Estadão Conteúdo
Publicado em 26/05/2021 às 12:13
Notícia
CHRISTOPHE ARCHAMBAULT/AFP
Superada a fase de doença aguda, cada organismo reage de uma maneira peculiar - FOTO: CHRISTOPHE ARCHAMBAULT/AFP
Leitura:
O Estado de São Paulo identificou o primeiro caso da cepa B.1.617 do coronavírus, conhecida como variante indiana. O paciente tem 32 anos, é morador de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, e desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos no dia 22 de maio. A amostra foi enviada ao Instituto Adolfo Lutz, da Secretaria Estadual da Saúde, e o sequenciamento, finalizado nesta quarta-feira, 26. A variante é considerada um risco para todo o mundo por sua fácil capacidade de disseminação.
O passageiro foi identificado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), responsável pelo monitoramento no aeroporto. O órgão federal informou a pasta estadual sobre o caso positivo quando o passageiro já havia embarcado em voo doméstico para o Rio de Janeiro. Segundo o governo estadual, não há registros de um caso autóctone, ou seja, com contaminação local, desta linhagem no Estado de São Paulo.
A secretaria informou que, imediatamente após ser comunicada pela Anvisa, iniciou as medidas de vigilância epidemiológicas necessárias junto ao município. Foi solicitada a lista completa dos passageiros do voo, além dos nomes de todos os funcionários do aeroporto, laboratório e dos contatos do passageiro para isolamento e monitoramento. As equipes de vigilância do Rio de Janeiro também foram imediatamente notificadas para o acompanhamento do caso.
Por meio de nota, a Anvisa afirmou que o passageiro apresentou teste RT-PCR negativo, feito nas últimas 72h, quando passou pelos controles do órgão no Aeroporto de Guarulhos. Ele não apresentava sintomas da covid-19.

"A positivação dele ocorreu posteriormente, em novo exame, já em solo brasileiro. Ao ficar sabendo da positivação, no final da noite de 22 de maio, a Anvisa imediatamente acionou o Sistema de Vigilância Epidemiológica (Cievs) para busca ativa e monitoramento", disse o texto.

>> Saiba o que é a cepa indiana do coronavírus diagnosticada no Maranhão

>> Covid-19: governo anuncia envio de 600 mil testes rápidos ao Maranhão

>> Covid-19: governador do Maranhão diz que é questão de tempo para cepa indiana estar circulando no Brasil 

Desde o último dia 14 de maio, as equipes de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde notificam os municípios de residência de todos os passageiros vindos da Índia que desembarcam no Brasil. A medida é uma parceria com a Anvisa, que envia para a Saúde a lista completa dos passageiros do voo.

Triagem

Nesta terça-feira, 25, a Prefeitura de São Paulo começou a fazer uma triagem no Terminal Rodoviário do Tietê, na zona norte, para evitar a entrada da variante indiana na cidade. Os passageiros que chegam do Maranhão, local onde a variante foi confirmada, têm a temperatura aferida e precisam preencher um questionário de saúde. Outras ações de prevenção estão sendo feitas nas rodovias.
 

Últimas notícias