Tarifas

União dos Estudantes de Pernambuco divulga nota de repúdio ao aumento das passagens de ônibus

A necessidade do reajuste foi anunciada pelo atual secretário das Cidades

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 06/01/2015 às 21:41
Leitura:

A União dos Estudantes de Pernambuco (UEP) divulgou na noite desta terça-feira (6) uma nota de repúdio relacionada ao aumento das passagens de ônibus. A informação sobre o reajuste das tarifas na Região Metropolitana do Recife foi anunciada pelo atual secretário das Cidades, André de Paula


Leia na íntegra a nota da UEP:

NOTA DE REPÚDIO DA UNIÃO DOS ESTUDANTES DE PERNAMBUCO, SOBRE O AUMENTO DAS TARIFAS DE ÔNIBUS NA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE.

A União dos Estudantes de Pernambuco – Gestão “Reconstruir a UEP pela base”, vem através desta, pronunciar-se acerca do aumento das tarifas de ônibus na região metropolitana do Recife, sinalizado pelo Governo de Pernambuco, durante a posse do novo Governador e dos novos secretários de estado.

A traição ao povo de Pernambuco não demorou a chegar. Com menos de uma semana da sua posse como novo Governador, Paulo Câmara já sucumbiu aos interesses dos tubarões do transporte público e já voltou atrás em seus compromissos de campanha, uma vez que, durante o pleito passado de 2014, ele transformou como base de sua plataforma de governo, a proposta que estabelecia o bilhete único para o cidadão, em que se pagaria a quantia de R$ 2,15 e em um prazo de três horas, em que se tomaria quantos ônibus fossem necessários. Hoje, isso se mostra não só uma promessa eleitoreira, mas também, um verdadeiro estelionato eleitoral, uma vez que, já na posse, com a sinalização da URBANA-PE (associação das empresas de ônibus), em se estabelecer um aumento de 23% nas tarifas de ônibus, para que se compensasse supostas perdas e prejuízos, o novo secretário estadual das cidades, Deputado licenciado André de Paula, já afirmou publicamente que “não haveria como escapar do reajuste da tarifa”, demonstrando a verdadeira postura do “novo” governo de Pernambuco, que é a de aumentar a tarifa, arrochar o orçamento da população e defender os interesses das empresas de ônibus. O fato é que, com o aumento das tarifas, a tarifa do anel A, por exemplo, passaria dos atuais R$ 2,15 para mais de R$ 2,60, o que faria o lucro das empresas disparar. Empresas estas que, de forma transparente ou não, financiaram as campanhas do PSB em Pernambuco nas eleições 2014 e em outras eleições também.

Não há e não haverá um motivo plausível para enfiar a mão no bolso do trabalhador, da dona de casa, do estudante, do desempregado e de quem precisa de verdade do transporte público, cobrando tarifas abusivas e favorecendo quem já é por demais abastado. O fato em si, soma-se ao cotidiano de quem precisa dos ônibus para se locomover, com uma frota obsoleta e insuficiente vista a demanda, terminais mal estruturados ou subutilizados, filas e mais filas na espera das linhas, péssima qualidade do serviço prestado, desvalorização dos rodoviários e dos outros profissionais envolvidos na prestação do serviço, assim como, o total desrespeito com o usuário do transporte. Os outros governos do PSB (Eduardo Campos - falecido/João Lyra Neto), já sucumbiram aos aumentos de tarifas, e nunca dialogaram com a sociedade e com o movimento estudantil, sobre pautas progressistas, como o passe-livre estudantil. O tratamento sempre foi na base do cassetete e da repressão. Se Paulo segue à risca este “legado”, nada será diferente neste “novo” governo deste “novo” Pernambuco.

Em seus 70 anos de luta, a UEP-Cândido Pinto nunca furtou-se das suas bandeiras de luta e não será diferente agora. Repudiamos a postura do Governo de Pernambuco, estaremos presentes em atos e manifestações contra os aumentos e convocamos os estudantes de Pernambuco e sociedade para somar nesta jornada de lutas.

 

ASSINA A DIRETORIA DA UNIÃO DOS ESTUDANTES DE PERNAMBUCO – GESTÃO “RECONSTRUIR A UEP PELA BASE”.


 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias