Urbanismo

Prefeitura anuncia ordenamento no Bairro do Recife, após o Carnaval

Grupo de trabalho formado por secretarias municipais e representantes do Governo do Estado discutem ações para melhorar a segurança e a infraestrutura

Cleide Alves
Cleide Alves
Publicado em 11/01/2015 às 8:31
Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
FOTO: Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
Leitura:

Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
Comércio ambulante será ordenado após o Carnaval, no Bairro do Recife - Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Torre Malakoff é um dos atrativos do Bairro do Recife - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Rua do Bom Jesus, no Recife Antigo, tem feirinha de artesanato aos domingos - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Praça do Marco Zero é um ponto de encontro das famílias no Bairro do Recife - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Praça do Marco Zero é um ponto de encontro das famílias no Bairro do Recife - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Parque das Esculturas, de Francisco Brennand, compõe a paisagem do Bairro do Recife - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Praça do Marco Zero é um ponto de encontro das famílias no Bairro do Recife - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

 

Há pouco mais de um mês, um grupo de trabalho formado pela prefeitura, comerciantes e empresários discutem propostas para melhorar a segurança e a infraestrutura para o Bairro do Recife. Segundo o secretário de Mobilidade e Controle Urbano, João Braga, as ações começam a ser implementadas após o Carnaval, com o intuito de consolidar o lugar como espaço de lazer.

A ideia é ordenar o uso dos espaços públicos, disciplinar áreas para estacionamento, definir eventos compatíveis com o bairro e reforçar a segurança. “Cadastramos 96 ambulante e eles vão trabalhar em ruas determinadas”, adianta João Braga. Na Rua Vigário Tenório, por exemplo, só será permitido alimentação.

A Rua do Bom Jesus mantém a feira de artesanato aos domingos e a Avenida Barbosa Lima continua com as barracas do Programa de Desenvolvimento do Artesanato (Prodarte). Ambulantes já saíram das Praças do Marco Zero e do Arsenal. “Novos empreendimentos deram uma dinâmica diferenciada ao bairro. Estamos nos articulando com o governo do Estado para oferecer melhores condições de uso aos moradores e turistas”, explica João Braga.

“Estamos aguardando as mudanças, vamos ver se vai dar certo”, diz a ambulante Joelma Fernanda Soares, que elege a falta de sanitários como uma falha no bairro.

Secretário de Turismo e Lazer do Recife, Camilo Simões aposta nas atividades descentralizadas como uma medida eficaz para manter as visitações ao Bairro do Recife. “Temos atrativos da Praça do Arsenal ao Paço Alfândega e não pensamos em grandes eventos. Estruturamos o bairro para receber bem as famílias, investimos em sinalização e na profissionalização dos atendimentos turísticos”, afirma.

Com relação à dificuldade de estacionamento, uma das críticas de frequentadores do programa Recife Antigo de Coração, promovido pela secretaria no último domingo de cada mês, ele disse que realmente há restrições para veículos motorizados em algumas ruas. Porém, durante o evento, o estacionamento da prefeitura é aberto ao público e vans transportam os visitantes aos locais de eventos.

O grupo de trabalho reúne as Secretarias municipais de Mobilidade e Controle Urbano, Turismo e Lazer e Desenvolvimento Econômico, além da Guarda Municipal. O Estado é representado pelas Polícias Militar e Civil.

De acordo com a PMPE, de segunda a sexta-feira, o policiamento é feito por uma Patrulha do Bairro, uma viatura ostensiva, uma dupla de segways (equipamento diciclos elétricos) e outra de ciclopatrulha. O Posto de Policiamento Ostensivo da Rua da Moeda só é ativado à noite.

A segurança é reforçada nos fins de semana: 60 policiais militares, sendo 20 do Batalhão de Choque, 20 do Regimento de Policiamento Montado e 20 de outras unidades especializadas. Moradores e comerciantes podem entrar em contato com o 16º Batalhão pelo telefone 3181–3606, bem como, registrar queixas pelo 190.

Últimas notícias