LGBT

Movimento LGBT realiza passeata no Recife pelo fim da homofobia

A passeata percorreu a Rua da Aurora, carregando uma bandeira gigante. Entre os pedidos, o fim da homofobia e o respeito a todas as formas de amor.

Editoria de Cidades
Editoria de Cidades
Publicado em 28/06/2016 às 20:40
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
FOTO: Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Leitura:

Um grito por justiça e igualdade tomou conta da Rua da Aurora, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, na tarde desta terça-feira (28). Reunidos em frente à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), militantes da causa LGBT celebraram o Dia Internacional do Orgulho Gay e prestaram homenagens às vítimas do atentado à boate Pulse, em Orlando, no último dia 12. 

“O que nós queremos mostrar é que Orlando também está em Pernambuco todos os dias, quando os direitos humanos de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais são violados”, defendeu Rivânia Rodrigues, 44, uma das coordenadoras do movimento no Estado. 

A concentração começou às 14h em frente à sede da Alepe, onde cartazes foram fixados. Às 17h30, uma passeata percorreu a Rua da Aurora, carregando uma bandeira gigante. Entre os pedidos, o fim da homofobia e o respeito a todas as formas de amor.

Para Henrique Lima, 30, essas são lições que vieram de berço. Filho de pais militantes, o jornalista levou as duas filhas (uma de 7 anos e outra de apenas 5 meses de idade) para participarem do encontro. “Elas vão aprender desde cedo que temos que ir para a rua lutar pelos direitos das outras pessoas, independente de opção sexual”.

Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Militantes fizeram cartazes para fixar na grade da Alepe. - Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Manisfestantes pediram por igualdade. - Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Cartazes pediam "mais amor". - Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Alepe foi escolhida, segundo militantes, por ser o local de onde saem as leis. - Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Membros do movimento pediam o fim da violência. - Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Foram cobradas políticas públicas voltadas para o movimento. - Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Manifestantes não sentem que a causa é prioridade do governo. - Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Cartazes também eram exibidos para os motoristas que passavam pela Rua da Aurora. - Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Uma bandeira gigante foi carregada pelos militantes durante a passeata. - Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Os militantes homenagearam as vítimas do atentado à boate Pulse, em Orlando. - Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem
Caminhada começou às 17h30, pela Rua da Aurora. - Foto: Fernando da Hora/JC Imagem

Representantes do Governo do Estado e da Prefeitura do Recife estiveram presentes no local e mostraram solidariedade. A vereadora Isabella de Roldão (PDT) e o deputado estadual Edilson Silva (PSOL) também expressaram apoio na luta pelos direitos LGBT. 

Único deputado presente, Edilson defendeu um combate à cultura da homofobia. “Leis são importantes, mas o que devemos fazer é admitir e acolher essas pessoas em todos os espaços”. Sobre ter sido o único membro da Alepe a participar, o deputado disse estar “triste”. “Não é uma pauta de rico ou de pobre, é uma pauta de direitos humanos. Era para a maioria dos parlamentares estarem aqui”, defendeu. 


Últimas notícias