CUIDADOS

Corpo de Bombeiros dá dicas de como evitar afogamentos

O major do Corpo de Bombeiros, Aldo Silva, alerta a importância da atenção redobrada dos pais ou responsável com as crianças

Camila Souza
Camila Souza
Publicado em 10/10/2016 às 17:15
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
O major do Corpo de Bombeiros, Aldo Silva, alerta a importância da atenção redobrada dos pais ou responsável com as crianças - FOTO: Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

Após os recentes casos de morte por afogamento de uma criança no Clube Coqueiral Park, em Olinda, Região Metropolitana do Recife (RMR), e de pai e filho na praia do Pina, na Zona Sul da cidade, o Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco (CBMPE) dá dicas importantes de como evitar o afogamento de crianças nas praias, piscinas e em casa.

O major do Corpo de Bombeiros, Aldo Silva, alerta a importância da atenção redobrada dos pais ou responsável com as crianças. De acordo com ele, as crianças são ativas e imprevisíveis e por isso é preciso do reforço na atenção em ambientes aquáticos, onde possibilita um afogamento.

Praia

Em sobreaviso, o major diz que os pais devem evitar o uso de artifícios flutuantes nas crianças, como boias que são facilmente soltas no corpo. "O indicado é usar ou boia de braço ou colete e evitar o uso de boia circular", explicou o major Aldo. 

O oficial também acentuou o cuidado com a correnteza e ficar atento com os passos da criança. "É preciso ficar em alerta porque a criança pode estar sentindo a superfície, mas se ela for deslocada a 25 cm, ela pode não alcançar a superfície e ser levada para um buraco", explica.

É importante que os pais ou responsável sigam as orientações das placas de salva-vidas onde ressalta os perigos da praia.  

Piscina

Segundo o major Aldo Silva, é preciso ter cuidado com as piscinas que têm divisórias com a mesma altura da água e que separa a piscina de criança da piscina de adulto. Esses tipos de piscina são de fácil transição para os pequenos. Assim, mantendo o risco da criança ir para o lado da piscina de adulto e haver um afogamento.

Outra dica para evitar um acidente é não entrar na piscina após a refeição. "Após uma refeição completa as energias estão sendo gastadas na digestão. A criança pode ficar fraca dentro da piscina, causando um acidente", alerta o major.

Em casa

Aldo ressalta os cuidados que os pais precisam ter dentro de casa. Na hora do banho, um balde com água, torneira aberta e até privada podem ocasionar em um acidente. Afogamento pode acontecer em locais onde haja água e que ela cubra a boca e o nariz da criança.

O Corpo de Bombeiros orienta que em caso de afogamente é necessario ligar de imediato para a corporação, no número 193, para que a vítima seja atendida e receba os primeiros socorros necessários.

Pai e filho morrem afogados na praia do Pina

Um homem de 49 anos e o filho dele morreram afogados na manhã dessa quarta-feira (12), na praia do Pina, Zona Sul do Recife. Segundo testemunhas, Genilson Lucas Ramos de Morais, 20, estava nadando com a esposa quando começou a se afogar. Ao ver a cena, o pai do jovem, Genilson Lucas de Morais entrou na água para resgatar o filho mas acabou se afogando também. O corpo do jovem foi encontrado durante a tarde. A mulher foi resgatada.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias