INTERDITADO

Alvará de kartódromo na Torre estava vencido desde novembro de 2017

Pista foi interditada nessa terçã-feira (13), após operação do Procon

Amanda Rainheri
Amanda Rainheri
Publicado em 14/08/2019 às 7:40
Notícia
Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Pista foi interditada nessa terçã-feira (13), após operação do Procon - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Leitura:

Dois dias após a tragédia que vitimou a jovem Débora Stefanny Dantas de Oliveira, de 19 anos, em uma pista de kart na Zona Sul do Recife, o Programa de Orientação e Proteção ao Consumidor (Procon) interditou outra pista semelhante, dessa vez no Carrefour do bairro da Torre, na Zona Oeste da capital. De acordo com o órgão, a empresa GKI - Guararapes Kart Indoor, que opera dentro do estacionamento do supermercado, estava com alvará do Corpo de Bombeiros vencido desde novembro de 2017.

“Depois do que ocorreu no outro kartódromo, vimos a necessidade de fiscalizar este. Aqui chegando, a empresa que administra nos informou que tinha uma licença provisória para funcionamento. Essa licença está vencida desde novembro de 2017, ou seja, há quase dois anos está sem licença para operar. É um caso de interdição, porque coloca em risco a vida de pessoas, especialmente de crianças. Nós não podemos tolerar esse tipo de prática ”, enfatizou o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico.

Segundo ele, a fiscalização cabe a mais de um órgão. “A documentação está com o Corpo de Bombeiros e com prefeitura, nos órgãos de controle urbano. O funcionamento estava se dando mediante licença vencida. Caberia à empresa ter a iniciativa de produzir a regularização, o que não aconteceu. Os órgãos de controle, evidentemente, precisam ter mais atenção com esse tipo de equipamento”, alertou o secretário.

Ao todo, 17 carrinhos foram interditados nessa terça-feira (13) pelo Procon. No momento da fiscalização, um grupo de crianças chegava ao local para a comemoração de um aniversário. Segundo Pedro Eurico, para regularizar a situação, a empresa precisa comparecer ao Corpo de Bombeiros e à Autarquia de Urbanização do Recife (URB), órgão da prefeitura da capital. A GKI preferiu não se pronunciar sobre a interdição. Funcionários do Carrefour informaram que o mercado apenas aluga espaço para a empresa e não tem responsabilidade pelo serviço oferecido.

O ACIDENTE

O acidente que vitimou a auxiliar de ensino infantil aconteceu no domingo, em uma pista de kart dentro do Wallmart, no bairro de Boa Viagem, Zona Sul da capital. Débora teve o couro cabeludo arrancado, após o cabelo ficar preso no motor do veículo. De acordo com o Procon, o kartódromo estava em situação irregular, sem alvará do Corpo de Bombeiros e sinalização adequada sobre as regras de funcionamento. Ontem, o Instituto de Criminalística (IC) realizou perícia na pista. Em nota, a Secretaria de Defesa Social (SDS), informou que o resultado leva, em média, 30 dias para ser encaminhado para a autoridade policial.

A Polícia Civil informou que instaurou inquérito para apurar os fatos. As investigações estão sob o comando do delegado Alfredo Jorge, da Delegacia de Boa Viagem. Ontem o noivo da vítima, Eduardo Tumajan, esteve na delegacia para prestar depoimento, junto da mãe dele e do empresário que ajudou no resgate. O delegado deve ouvir ainda os funcionários do kartódromo.

Em entrevista à Rádio Jornal, Eduardo disse que só queria que a companheira ficasse bem. “Ela me disse: amor, eu não tenho nada na minha vida mais, a única coisa que eu tinha era minha beleza. Você ainda vai me amar?”, contou, emocionado.
O Corpo de Bombeiros foi procurado pela reportagem na tarde de ontem, mas até o fechamento desta edição, não prestou esclarecimentos sobre as fiscalizações realizadas no período em que a empresa GKI operou sem a devida documentação.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias