DENÚNCIA

Mães de crianças com microcefalia protestam contra a falta de distribuição de leite em Olinda

Segundo elas, a Prefeitura de Olinda não distribui um leite chamado Fortini há seis meses

Rute Arruda
Rute Arruda
Publicado em 10/09/2019 às 14:12
Notícia
Foto: Diego Nigro/ Acervo JC Imagem
Segundo elas, a Prefeitura de Olinda não distribui um leite chamado Fortini há seis meses - FOTO: Foto: Diego Nigro/ Acervo JC Imagem
Leitura:

Na manhã desta terça-feira (10), mães de crianças com microcefalia realizaram um protesto contra a falta de distribuição de leite em Olinda. As mães denunciaram que a Prefeitura do município não distribui um leite chamado Fortini, importante para a alimentação, há seis meses e também não disponibiliza transporte para levar as crianças, que têm entre três e quatro anos, para a fisioterapia. Nas farmácias, o preço médio do Fortini é R$ 45.

Segundo as mães, que recebem cerca de R$ 998, cada criança consome, em média, dez latas por mês. "Eu me sacrifico. Faço dívidas em cartão para comprar o leite para ele [o filho]", comentou Jaqueline Vieira, mãe de Daniel que tem apenas três anos.

De acordo com Mirlene Farias, uma das mães, houve uma reunião com professor Lupércio, o prefeito de Olinda, e foi dito que será feita uma compra emergencial do leite e, em relação ao transporte, ainda não há informação do que será feito.

Medidas

A Prefeitura de Olinda confirmou a compra emergencial e disse que ela será feita até a próxima sexta-feira (13). Sobre a questão do transporte, ainda está sendo analisada a melhor solução.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias