VIOLÊNCIA

Paulista: padrasto suspeito de estuprar enteada é preso preventivamente

O suspeito, um motorista de ônibus, foi preso em um terminal, na terça-feira (8)

Fillipe Vilar
Fillipe Vilar
Publicado em 09/01/2019 às 15:03
Foto: Reprodução de vídeo/Divulgação/Polícia Civil
O suspeito, um motorista de ônibus, foi preso em um terminal, na terça-feira (8) - FOTO: Foto: Reprodução de vídeo/Divulgação/Polícia Civil
Leitura:

A Polícia Civil apresentou detalhes, na manhã desta quarta-feira (9), sobre a investigação que levou ao cumprimento de um mandado de prisão contra um homem suspeito de estuprar enteada de 13 anos em Paulista, no Grande Recife.  A denúncia de estupro surgiu depois de outra denúncia, de violência doméstica, contra a mesma enteada e outros dois filhos do suspeito, que é motorista de ônibus.

“A avó da enteada procurou a polícia. Ela ligou para a Polícia Militar alegando que o homem teria agredido a neta dela e os outros dois filhos dele”, contou o delegado responsável pelo caso, Ricardo Silveira. A mulher levou as crianças para a Delegacia de Paulista, onde registrou um Boletim de Ocorrência sobre as agressões físicas.

“A menina, que tem 13 anos, apresentava sinais externos de violência, assim como a filha do acusado”, explicou o delegado. A enteada, depois, relatou aos policiais que, além das agressões, vinha sofrendo estupros e abusos sexuais por parte do padrasto. “Ela contou que apanhou do acusado porque estava conversando com um menino no WhatsApp. O homem seria muito ciumento. Depois, falou sobre os abusos sexuais”, continuou o delegado.

A garota revelou que vinha sofrendo os estupros desde os 10 anos. “Ela seria ameaçada pelo padrasto. Os abusos também seriam testemunhados pelos filhos do acusado”, pontuou Silveira. Os filhos do motorista de ônibus teriam visto a menina tomar banho junto com o suspeito, além de outras situações sexuais entre os dois.

Prisão preventiva

No dia 12 de dezembro, o motorista foi preso em flagrante e autuado pelos crimes de estupro de vulnerável e lesão corporal qualificada por violência doméstica. Na ocasião, acabou liberado em audiência de custódia.

Na tarde dessa terça-feira (8), o homem foi preso em um terminal, por cumprimento de mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça. Segundo a Polícia Civil, o judiciário acatou o pedido de prisão realizado pelo delegado Ricardo Silveira depois das ouvidas das crianças, que afirmaram ser frequentes os abusos sofridos pela enteada do suspeito.

Mãe pode ser indiciada 

O delegado estuda a possibilidade de indiciar também pelo crime de estupro de vulnerável a mãe da criança, já que os relatos apontam que a mesma tinha consciência dos abusos.

“Tomamos o depoimento dela e ela disse desconhecer toda a situação, mas comparando com os depoimentos dos filhos do acusado e da vítima, as informações dela parecem ser inverídicas”, disse o delegado. A polícia não identificou nenhum indício de que os filhos do acusado também fossem abusados sexualmente.

As vítimas foram encaminhadas pelo Conselho Tutelar do Paulista para instituições de apoio. “Eles já não moram mais com o acusado, apenas a mãe da menina de 13 ainda vive com ele”. Os adolescentes estão vivendo com parentes.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias