SOB AMEAÇAS

Felipe Neto sobre ameaças: 'Já tirei minha mãe do Brasil'

''Infelizmente a notícia é real'', afirmou Felipe

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 16/09/2019 às 20:55
Notícia
Foto: Instagram/@felipeneto/Reprodução
"Minha atribuição do termo genocida ao presidente se dá pela sua nítida ausência de política de saúde pública no meio da pandemia", escreveu - FOTO: Foto: Instagram/@felipeneto/Reprodução
Leitura:

O youtuber Felipe Neto afirmou em seu Twitter nesta segunda-feira, 16, que vem sofrendo ameaças e chegou a tirar sua mãe do País por motivos de segurança.

"Infelizmente a notícia é real. As ameaças se intensificaram e estamos montando um documento para dar entrada na polícia. Já tirei minha mãe do Brasil e estou vivendo com o mínimo possível de exposição", disse Felipe Neto.

Confira a publicação

Por meio de um comunicado divulgado por sua assessoria, Felipe Neto afirma que cancelou sua participação na palestra Educação e a Criatividade, que ocorreria na terça-feira, 17, no evento Educação 360, no Rio de Janeiro, "devido à ameaças que atentam contra a sua vida e de sua família".

Felipe Neto falou sobre sua ausência: "É estarrecedor que, no Brasil, em 2019, um indivíduo seja impossibilitado de se manifestar e lutar contra qualquer tipo de censura e opressão sem ser ameaçado."

"Quero dizer que continuarei lutando, enfrentando o obscurantismo e a opressão, por todos os meios que me cabem, pela defesa do amor e da união até o fim, até onde for possível e até onde minhas forças e meu coração aguentaram", prosseguiu.

"Desde que a ação que promoveu contra a censura, a opressão e o preconceito na Bienal do Livro - onde comprou e distribuiu gratuitamente 14 mil exemplares com a temática LGBTQ [...] Felipe Neto vem recebendo todo tipo de ameaças", ressalta o comunicado.

Felipe Neto cancelou participação em um evento

O youtuber Felipe Neto, por meio de sua assessoria de imprensa, comunicou nesta segunda-feira (16) que não poderá participar de uma palestra que aconteceria nesta terça-feira (17), na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. O motivo, segundo o comunicado, seriam ameaças que ele teria sofrido contra sua vida e de sua família.

A ação é uma consequência da atitude que o influenciador digital, escritor e empresário realizou na Bienal do Livro do Rio de Janeiro no último dia 6 de setembro, onde comprou e distribuiu gratuitamente 14 mil exemplares com a temática LGBTQ em prol da liberdade de expressão, do amor, da inclusão e da diversidade.

Felipe Neto compra livros censurados por Crivella e distribui

Os mais de 10 mil comprados com a temática LGBT pelo youtuber Felipe Neto e censurados pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, foram distribuídos gratuitamente neste sábado (7) na Bienal do Livro. Em vídeo publicado nessa sexta-feira (6), o youtuber disse que os livros estariam embalados em sacos plásticos pretos, com o aviso: "este livro é impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas".

Obras como 'Com amor, Simon', 'Me chame pelo seu nome' e 'Boy erased: Uma verdade anulada', foram distribuídas. Também no vídeo, Felipe Neto disse que comprou todos os livros para mostrar ao prefeito do Rio que "não tem como reprimir a população em pleno século dezenove".

Últimas notícias