Bolsa

Bovespa sobe 0,66% e retoma os 64 mil pontos

Ganho desta quinta-feira (27) superou a perda de 0,44% acumulada nos três pregões anteriores da Bovespa

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 27/10/2016 às 19:32
Foto: Reprodução/Internet
Ganho desta quinta-feira (27) superou a perda de 0,44% acumulada nos três pregões anteriores da Bovespa - FOTO: Foto: Reprodução/Internet
Leitura:

A Bovespa se apoiou principalmente em ações de bancos e retomou nesta quinta-feira (27) a trajetória de alta, subindo 0,66%, aos 64.249,50 pontos. O ganho superou a perda de 0,44% acumulada nos três pregões anteriores, marcados por realizações de lucros localizadas e ações específicas. Resultados corporativos promissores e o cenário interno favorável foram determinantes para manter o apetite do investidor pela renda variável. Os negócios somaram R$ 8,08 bilhões.

As bolsas americanas oscilaram em torno da estabilidade durante a maior parte do tempo, principalmente à tarde, e acabaram por exercer influência quase nula, segundo operadores. Em meio à safra de balanços trimestrais, o mercado americano também se prepara para a reunião de política monetária do Federal Reserve, na próxima semana. Devido à proximidade das eleições nos Estados Unidos, no entanto, as chances de uma elevação de juros em novembro são consideradas remotas. 

Já o petróleo teve alta firme, apesar de incertezas quanto ao acordo de países produtores. O Iraque anunciou que vai pedir para ficar de fora do acordo anunciado em setembro pela Opep, com a justificativa de que a guerra contra o Estado Islâmico não permite ao país reduzir sua produção, limitando a entrada de capital. O pedido será analisado em reunião entre amanhã e sábado. Ainda assim, a commodity recuperou as perdas dos últimos dias e fechou em alta nas bolsas de Londres e Nova York. As ações preferenciais da Petrobras fecharam com alta de 0,21% (ON), enquanto as ordinárias ficaram próximas da estabilidade, em baixa de 0,06%.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias