Finanças

O que fazer com os R$ 500 do saque permitido do FGTS

Economistas orientam usar dinheiro do FGTS para pagar dívidas ou usufruir para o seu bem-estar

Marília Banholzer
Marília Banholzer
Publicado em 24/07/2019 às 17:01
Notícia
Foto: reprodução
Economistas orientam usar dinheiro do FGTS para pagar dívidas ou usufruir para o seu bem-estar - FOTO: Foto: reprodução
Leitura:

O Governo Federal assinou na tarde desta quarta-feira (24) uma Medida Provisória permitindo saques de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e do PIS-Pasep, a partir de agosto deste ano até março de 2020. O limite máximo de saques será de R$ 500 por conta. Numa situação em que o porcentual de famílias brasileiras endividadas alcançou 62,7% em abril, economistas orientam que quem tiver pequenos débitos use essa verba extra para quitar dívidas. Já aqueles que estão com o orçamento mais livre podem fazer uma viagem, trocar eletrodomésticos ou fazer pequenos investimentos.

"Individualmente, esse valor é pouco. Mas no conjunto, a expectativa é de injetar R$ 20 bi este ano e mais R$ 10 bilhões no ano que vem. É praticamente o mesmo valor que o Temer conseguiu injetar com a liberação das contas inativas no ano passado, quando foram colocados R$ 40 bilhões na economia", comentou a economista Amanda Aires, que também é professora da UniFBV.

No site da agência de viagens CVC é possível encontrar ofertas de viagens para Fortaleza e Salvador, com aéreo e hospedagem para uma pessoa, durante três dias, por menos de R$ 500. Já no site da Americanas.com, há opções de smartphones das marcas Sansung (J2 por R$ 478) e LG (K9 TV - R$ 499), por exemplo, que estão disponíveis por valores menores do que o limite a ser sacado no FGTS. Quem preferir gastar com eletrodomésticos, há ofertas de microondas, depurador de ar, entre outros produtos.

No Recife, no é possível fazer uma massagem relaxante com banho ofurô e duração de 1h30, somado a escova nos cabelos, maquiagem e podologia (pé e mão) por R$ 485, no Spa Villa Bem Estar. O consumidor também poderá aquecer o mercado da moda, comprando novas peças para seu guarda-roupas.

Investimento

"Não acredito que investir seja uma opção com tão pouco dinheiro. A não ser que você não tenha dívidas, desejos de compras, e não esteja querendo aproveitar o fim das férias. Se a pessoa quiser investir para esquecer que existe, como já estava guardado na conta do FGTS, pode investir no Tesouro Direito, com rendimento 6,5% na linha mais conservadora. Já é o dobro do rendimento do FGTS que fica em 3% ao ano", resumiu Amanda Aires.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias