AINDA PODE MUDAR

Liberação do FGTS é medida emergencial, afirma Bolsonaro

Anúncio oficial está marcado para esta quarta-feira (24), às 16h

Foto: Alan Santos/PR
Anúncio oficial está marcado para esta quarta-feira (24), às 16h - FOTO: Foto: Alan Santos/PR
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (24) que a liberação do saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é uma medida emergencial para ajudar a economia do País, principalmente o setor de comércio. O presidente também confirmou que o saque será limitado a R$ 500 por ano, mas disse que até "a última hora" tudo pode mudar.

O anúncio da medida e da liberação do PIS/Pasep está marcado para esta quarta, às 16h. "Pelo que vi na imprensa, peguei um arrazoado aí, mas tudo pode mudar até a última hora. Está garantido R$ 500 por ano", disse Bolsonaro a pessoas que aguardavam na saída do Palácio da Alvorada nesta manhã. Ele deixou o local rumo ao Palácio do Planalto.

O presidente também disse que a liberação do PIS/Pasep desburocratizará a obtenção do recurso em caso de falecimento. "A coisa do PIS/Pasep também desburocratiza bastante. Quando uma pessoa falece, o parente tira sem burocracia, apenas com a palavra, com documento. A gente está facilitando muita coisa emergencial, porque a nossa economia não vai bem. Se bem que já está dando sinais de recuperação e acho que dá para a gente ajudar bastante no corrente ano e entrar um dinheirinho no comércio", afirmou o presidente.

Saques a partir de agosto

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, confirmou na manhã desta quarta-feira (24) a liberação do saque de até R$ 500 das contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) que deve ser feita a partir de agosto deste ano. Em entrevista, o ministro disse que a liberação irá injetar cerca de R$ 30 bilhões na economia brasileira neste ano e mais R$ 10 bilhões no ano que vem. Com os recursos do PIS/Pasep, o total chegará a R$ 42 bilhões, até março de 2020.

De acordo com o ministro, os saques, que terão o limite de R$ 500 por conta e não por CPF, serão proporcionais ao montante que o trabalhador tem na conta. Ou seja, quem tem um montante na faixa dos R$ 500, não poderá sacar tudo, pois terá de respeitar a proporcionalidade elaborada pela Caixa e que será anunciada na tarde desta quarta-feira, na cerimônia que ocorrerá a partir das 16h, no Palácio do Planalto. Onyx confirmou que dos 260 milhões de contas do FGTS, mais de 80%, ou 211 milhões, possuem saldo de apenas R$ 500.

A medida, de acordo com Onyx, deve ajudar até 96 milhões de trabalhadores e vem da preocupação do presidente Bolsonaro com os mais de 60 milhões de brasileiros endividados, que têm o nome sujo no Serasa.

Últimas notícias