novidade

Já pensou em receber gasolina em casa? ANP avalia autorizar delivery de combustível

Agência Nacional do Petróleo avalia autorizar o delivery de gasolina. Veja como funciona

Elton Ponce
Elton Ponce
Publicado em 25/01/2020 às 16:36
Notícia
Foto: Arquivo/JC Imagem
Agência Nacional do Petróleo avalia autorizar o delivery de gasolina. Veja como funciona - FOTO: Foto: Arquivo/JC Imagem
Leitura:

Já pensou em não precisar enfrentar fila em postos de gasolina para abastecer o carro? Pois a Agência Nacional do Petróleo avalia autorizar o delivery de gasolina. A possibilidade tem forte oposição dos postos de gasolina, que falam em risco para a segurança. As informações são da Folha de S. Paulo.

Para os distribuidores, a falta de respeito às regras de segurança podem trazer riscos durante o abastecimento. A primeira empresa a solicitar autorização para o serviço foi a GOfit, do Rio de Janeiro. Ela oferece o delivery de álcool e gasolina desde 2019.

Quatro empresas conseguiram via liminar judicial, impedir o serviço da GOfit: a Fecombusíteis, o sindicato dos Transportadores e Revendedores Retalhistas e sindicatos de postos do Rio e Minas Gerais. No entando, elas alegam que a empresa segue prestando o serviço.

Como funciona a entrega

O delivery é feito por camionetes com tanques de mil litros cada para gasolina e etanol. O pedido é feito via aplicativos de celular, assim como serviços Rappi e Uber Eats.

Queixas

O órgão regulados do setor de petróleo discutiu o tema com o Instituto Estadual de Meio Ambiente, a Agência Nacional de Transportes Terrestres e o Instituto de Pesos e Medidas. Representantes da GOfit estiveram presentes e argumentaram que o modelo traz benefícios e comodidade aos clientes, e que os motoristas são treinador a prestar o serviço com segurança.

O superintendente-adjunto da ANP diz que, se aprovado, o delivery será feito com tempo e locais pré-determinados, sempre acompanhados por técnicos. O Inea diz que ainda não recebeu pedidos para licenciamento ambiental da venda nessa modalidade. Já a ANTT não falou sobre o assunto.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias