PRAZO

Alcolumbre quer concluir votação da previdência no Senado até 10 de outubro

Segundo presidente do Senado, calendário de sessões deve ser mantido

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 28/08/2019 às 11:31
Notícia
Foto: Marcos Brandão/Senado Federal
Segundo presidente do Senado, calendário de sessões deve ser mantido - FOTO: Foto: Marcos Brandão/Senado Federal
Leitura:

Atualizada às 11h54

Em pronunciamento divulgado pelo Twitter oficial do Senado Federal, o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), defende a necessidade da aprovação da reforma da Previdência e afirma que o calendário de sessões deve ser mantido. Segundo o democrata, senadores devem votar a proposta em segundo turno até o dia 10 de outubro.

“A reforma é fundamental para o equilíbrio das contas, para a segurança jurídica, para o ajuste do déficit monstruoso relacionadas à previdência e para a justiça social. Através dela, todos os brasileiros, especialmente aqueles com maior remuneração, poderão contribuir com o país para que haja recursos para investir na saúde, educação e na segurança”, disse Alcolumbre.

Leitura do parecer

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado realiza nesta quarta-feira, 28, a leitura do relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) sobre a reforma da Previdência. O parecer foi apresentado na terça-feira, 27, pelo parlamentar. A leitura é uma etapa necessária antes da votação da proposta na comissão, o que deve ocorrer no próximo dia 4. 

A mesma expectativa é compartilhada pelo líder do governo no Senado Federal, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). Segundo ele, as alterações realizadas pelo relator trouxeram pontos positivos. "O governo vai apoiar a aprovação do relatório do senador Tasso Jereissati. Ele introduziu algumas mudanças, que, de certa forma, conferem ainda mais justiça ao texto aprovado pela Câmara dos Deputados e também coloca na PEC paralela a possibilidade de receitas adicionais. Portanto, o governo vai trabalhar para que o relatório possa ser votado na próxima quarta-feira aqui na CCJ”, disse o pernambucano.

Até o momento, 276 emendas foram apresentadas à PEC da Previdência no Senado, 124 delas entre terça e esta quarta-feira

O relator deverá dar um parecer sobre essas alterações até a votação da reforma na CCJ, na quarta-feira da semana que vem. Novas emendas ainda poderão ser apresentadas no plenário.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias