violência

MPPE diz que clubes e FPF podem proibir acesso das organizadas

Ação já foi utilizada durante semifinais e finais do Campeonato Pernambucano do ano passado

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 17/02/2013 às 15:35
Foto: Rodrigo Lôbo/JC Imagem
Ação já foi utilizada durante semifinais e finais do Campeonato Pernambucano do ano passado - FOTO: Foto: Rodrigo Lôbo/JC Imagem
Leitura:

 

Depois do confronto entre torcidas organizadas que terminou com um jovem torcedor do Náutico baleado, na noite do último sábado (16), na frente do Estádio dos Aflitos, Zona Norte do Recife, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) informou que a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) e os clubes têm autoridade para solicitar a proibição dos grupos nas partidas.

As maiores organizadas de Pernambuco são a Inferno Coral (Santa Cruz), a Torcida Jovem (Sport) e a Fanáutico (Náutico). "O Ministério Público já expediu recomendação que proibam o acesso dessas torcidas. Eles já acataram em finais de Campeonato Pernambucano (2012) e ação obteve êxito. Essa recomendação ainda está valendo. Se os clubes, a Federação Pernambucana e a Polícia Militar quiserem podem proibir  a entrada dessas organizadas. Falta vontade política", disse o promotor Ricardo Coelho.

O MPPE também já deu entrada na Justiça solicitando a extinção das organizadas. Segundo o promotor, a ação será julgada no final deste ano. Ricardo Coelho disse que foram contabilizados somente entre 2011 e 2012 pouco mais de 800 crimes envolvendo integrantes das três organizadas. "Se quisermos ser razoáveis, ultrapassaríamos facilmente mil crimes"

SÁBADO - Minutos antes do jogo Náutico x Central, nos Aflitos, torcedores com camisa da Jovem que estavam em ônibus de linha passaram em frente aos Aflitos, na Avenida Rosa e Silva, onde estavam integrantes da Fanáutico. Houve provocações e arremesso de pedras contra o veículo.

Segundo testemunhas, um homem trajando uma camisa preta com o nome apoio sacou uma arma e iniciou disparos. Um dos tiros atingiu a cabeça de Lucas de Freitas Lyra, de 19 anos.

Ele foi encaminhado ao Hospital da Restauração, no Derby, área central do Recife, e passou por uma cirurgia para a retirada da bala. Permanece em observação na UTI do hospital.

A investigação está a cargo da Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O delegado Isaías Novaes informou que está muito próximo de identificar o autor dos disparos.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias