Contratação

Presidente do Barcelona atribui a antecessor negociação de Neymar

A justiça espanhola investiga se o preço pago pela contratação de Neymar foi superior aos 57 milhões de euros declarados

Da AFP
Da AFP
Publicado em 13/02/2015 às 17:20
Foto: Josep Lago / AFP
A justiça espanhola investiga se o preço pago pela contratação de Neymar foi superior aos 57 milhões de euros declarados - FOTO: Foto: Josep Lago / AFP
Leitura:

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, garantiu nesta sexta-feira à justiça espanhola que foi seu antecessor, Sandro Rosell, quem negociou e comandou a operação para contratar o craque brasileiro Neymar.

Bartomeu foi convocado para depôr nesta sexta-feira em Madri diante do juiz Pablo Ruz como um dos envolvidos nas supostas fraudes fiscais na contratação do atacante brasileiro pelo clube catalão.

O juiz da Audiência Nacional -principal instância penal espanhola- investiga se Bartomeu teria participação numa fraude no valor de 2,8 milhões de euros em 2014 pelo não pagamento ao Fisco espanhol dos impostos correspondentes à transferência de Neymar.

Bartomeu, durante um interrogatório que durou três horas, garantiu que "a obrigação tributaria nasceu em 2013, quando foi assinado o contrato", de acordo com fontes próximas ao caso.

Desta maneira, Bartomeu, que assumiu o cargo em janeiro de 2014, coloca a responsabilidade sobre seu antecessor, Sandro Rosell.

Em um comunicado após as declarações do presidente, o clube garantiu que Bartomeu "defendeu as decisões tomadas, avaliadas sempre pelos assessores fiscais do clube".

"Ele deixou claro que tanto ele como o clube nunca tiveram o objetivo de fraudar a Receita Federal", completou em comunicado.

O juiz decidiu no dia 3 de fevereiro envolver Bartomeu na investigação sobre as supostas irregularidades na contratação de Neymar.

A justiça espanhola investiga se o preço pago pela contratação de Neymar foi superior aos 57 milhões de euros declarados e se houve qualquer tipo de irregularidade fiscal.

- Ocultar o custo real -

Segundo a acusação, o custo real da contratação "é estimado em 82.743.485 euros", se contabilizados as luvas recebidas pelo craque, as parcerias sociais e de marketing e o acordo de prioridade com o Santos.

Com isso, o Barcelona deixou de pagar em impostos um total de 12,14 milhões de euros, o que elevaria o custo do jogador brasileiro a 94,8 milhões de euros, de acordo com a agência tributária espanhola.

A acusação insiste que o ex-presidente Rosell ocultou os valores reais da contratação e que também "idealizou a operação de uma maneira que o Barcelona não informaria à Receita Federal" os valores reais destes contratos.

A contratação de Neymar, que assinou com o Barça por cinco anos em maio de 2013, originou um grande escândalo quando um sócio do clube acusou Rosell, que deixou o cargo logo em seguida, de "apropriação indevida" na operação.

Após a demissão de Rosell, no dia 23 de janeiro de 2014, a nova diretoria do clube, encabeçada por Bartomeu, revelou detalhes da operação e avaliou o custo do passe do jogador em 57,1 milhões de euros, um valor que chegava a 86,2 milhões se adicionados os valores pagos nas operações paralelas relacionadas à compra de Neymar.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias