Confronto

Torcidas organizadas transformam Aflitos em campo de batalha

Torcedores armados com pedra, pedaços de paus e bombas protagonizaram uma verdadeira cena de selvageria em frente à sede do Naútico na noite desta terça-feira

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 08/09/2015 às 22:44
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
FOTO: Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Leitura:

Torcedores armados com pedra, pedaços de paus e bombas protagonizaram uma verdadeira cena de selvageria em frente à sede do Naútico, no bairro dos Aflitos, Zona Norte do Recife, na noite desta terça-feira (8). A causa? Briga entre torcidas organizadas.

Após o jogo entre o Santa Cruz e o Paysandu, realizado no Estádio José do Rego Maciel, no bairro do Arruda, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, Série B, membros da organizada Terror Bicolor, do Paysandu, aliada à Fanáutico, do Náutico, entraram em confronto com integrantes da Inferno Coral, maior uniformizada do Santa. Os membros dessa facção já haviam sido vistos próximos à sede timbu durante a tarde.

Após as cenas de confusão e relatos de torcedores espancados, a Polícia Militar chegou ao local para conter a confusão. O saldo foi uma vizinhança assustada, lojas depredadas e o sentimento de que esse tipo de barbárie nunca vai ter fim.  

De acordo com o 13º Batalhão de Polícia Militar, responsável pela segurança da área, alguns torcedores foram detidos. Ainda de acordo com os policiais, antes mesmo de o jogo começar, foram apreendidos coquetéis molotov, bomba e fogos de artifício, dando a entender que a briga já havia sido programada.

Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Policial armado chegou ao local do confronto entre torcidas organizadas - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Policial armado chegou ao local do confronto entre torcidas organizadas - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Policial armado chegou ao local do confronto entre torcidas organizadas - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Pelo chão, rastro do vandalismo que destruiu fachada de lojas e causou pânico em moradores - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Embora viaturas da polícia tenham seguido até o local, ninguém foi detido - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Embora viaturas da polícia tenham seguido até o loc - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Vandalismo atingiu veículos de prédios próximos ao estádio dos Aflitos, na Rosa e Silva - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Na avenida, pedras que foram usadas para o confronto entre torcidas - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Batalhão da Polícia chegou para conter o clima de guerra que se instalou na Rosa e Silva - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
A organizada Terror Bicolor, do Paysandu, teria entrado em confronto com a Inferno Coral - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Viaturas da polícia em frente aos Aflitos, depois do confronto entre torcidas - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Após as cenas de confusão e relatos de torcedores espancados, a PM chegou ao local - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Confronto paralisou completamente a avenida Rosa e Silva - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Policiais chegaram para tentar conter os ânimos e dispersar os baderneiros - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Viaturas da polícia em frente aos Aflitos, depois do confronto entre torcidas - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Na avenida, pedras que foram usadas para o confronto entre torcidas - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Na avenida, pedras que foram usadas para o confronto entre torcidas - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Na avenida, pedras que foram usadas para o confronto entre torcidas - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Na avenida, pedras que foram usadas para o confronto entre torcidas - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Comerciantes nas proximidades dos Aflitos também tiveram prejuízos com baderna - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Pela avenida, rastro de destruição deixado após confronto entre torcedores - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Pela manhã, o rastro de vandalismo permanece. - Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Loja atingida por pedras protegeu vitrine com tapumes - Foto: Diego Nigro/JC Imagem

O Náutico divulgou nota de repúdio no fim da noite. Confira a íntegra:

O Clube Náutico Capibaribe repudia veementemente a violência ocorrida nesta noite na frente da sua Sede, na Avenida Rosa e Silva, quando torcidas organizadas se enfrentaram transformando o local em uma praça de guerra.

O Náutico não compactua com tal comportamento e exige rigorosa apuração policial do caso, com punição para os culpados.

A Diretoria do Clube fará uma rígida apuração interna dos fatos e tomará todas as providências para identificar os envolvidos e denunciar às autoridades competentes qualquer um que tenha tido participação no lamentável incidente.

 

Vídeo mostra correria e confusão de torcidas na Avenida Rosa e Silva.

Posted by Jornal do Commercio on Terça, 8 de setembro de 2015

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias