copa américa

Torcedor sofre para retirar ingressos para os jogos da Copa América

A seleção brasileira estreia na Copa América na noite da sexta-feira, contra a Bolívia. Torcedores têm dificuldade para retirar ingresso no único ponto disponibilizado

JC Online
JC Online
Publicado em 13/06/2019 às 10:11
Notícia
Lucas Figueiredo/CBF
A seleção brasileira estreia na Copa América na noite da sexta-feira, contra a Bolívia. Torcedores têm dificuldade para retirar ingresso no único ponto disponibilizado - FOTO: Lucas Figueiredo/CBF
Leitura:

Os torcedores que compraram ingressos para a Copa América têm enfrentado filas para a retirada dos bilhetes no Memorial da América Latina, em São Paulo. Na quarta-feira, por exemplo, a demora chegou a duas horas. No dia anterior também. A disputa começa nesta sexta-feira, entre Brasil e Bolívia, no estádio do Morumbi.

Os organizadores alegam que a demora se justifica por causa de medidas de segurança. "É uma burocracia necessária para evitar ação de cambistas. São medidas para que o torcedor se sinta seguro. Recomendamos que o torcedor vá aos centros de retirada o quanto antes. Quanto mais perto do jogo, as filas podem ser maiores", disse Thiago Jannuzzi, gerente-geral de Competição da Copa América.

MEDIDAS DE SEGURANÇA

Para retirar o ingresso, o torcedor precisa levar o voucher impresso, um documento com foto e o cartão de crédito utilizado na compra pelo site. Quem comprou meia-entrada precisa apresentar a carteirinha, e o bilhete é nominal. Após isso, é tirada uma foto do torcedor segurando o documento e o cartão.

"É inadmissível que seja só um ponto de retirada de ingressos em uma cidade do tamanho de São Paulo. Também acho que a maneira de controle não é correta, com muitas etapas burocráticas. O atendimento foi ótimo, mas a burocracia do sistema atrapalha", reclama o advogado Fernando Gimenez, de 44 anos, que enfrentou a fila com a mulher e os dois filhos.

O Memorial da América Latina tem recebido nos últimos dias uma quantidade maior de torcedores estrangeiros. O chileno Diego Miranda chegou ao Brasil na madrugada de quarta-feira e foi com os três amigos retirar os ingressos no local. "Saímos do aeroporto às 6 horas e fomos ao Morumbi, achando que a retirada fosse lá. Depois viemos para cá ainda com as malas, porque não sabíamos que teria uma fila tão grande", comentou o eletricista chileno de 26 anos.

Últimas notícias