regime semiaberto

Clube da terceira divisão de Minas Gerais vai contratar goleiro Bruno

Dirigente do Poços de Caldas garantiu que Bruno, que jogava no Flamengo quando foi preso, deve assinar o contrato e ser apresentado oficialmente na próxima semana

AFP
AFP
Publicado em 14/08/2019 às 19:58
Notícia
Foto: Cristiane Mattos/AFP
Dirigente do Poços de Caldas garantiu que Bruno, que jogava no Flamengo quando foi preso, deve assinar o contrato e ser apresentado oficialmente na próxima semana - FOTO: Foto: Cristiane Mattos/AFP
Leitura:

O Poços de Caldas vai contratar o goleiro Bruno Fernandes, condenado em 2013 por ordenar o homicídio de Eliza Samudio, disse na noite de terça-feira ao site Globoesporte o presidente do clube da terceira divisão de Minas Gerais.

Paulo César da Silva, dirigente do Poços de Caldas, garantiu que Bruno, que jogava no Flamengo quando foi detido, deve assinar o contrato e ser apresentado oficialmente na próxima semana.

Bruno foi preso preventivamente em 2010 e condenado a três anos depois pelo homicídio da jovem modelo com quem teve um filho que se negava a reconhecer. O goleiro também foi condenado pelo sequestro do bebê, após o assassinato da mãe. 

O caso estremeceu o Brasil. Em 2010, Samudio, de 25 anos, foi assassinada e seu corpo, desmembrado, foi jogado aos cachorros pelos executores do crime. O cadáver nunca foi encontrado. Ao todo, o ex-capitão do Flamengo foi sentenciado a 20 anos e nove meses de prisão. 

Em 2017, o goleiro foi liberado por decisão judicial provisória devido a uma demora em seu processo, e um clube local o convidou para disputar o Campeonato Mineiro. Mas dois meses depois ele voltou à prisão quando a medida judicial foi revogada. 

Regime semiaberto

Em julho deste ano, Bruno, de 34 anos, entrou para o regime semiaberto e fixou residência com sua atual esposa em Varginha, também em Minas. 

Para treinar e atuar com o Poço de Caldas FC, da cidade de mesmo nome e que fica a 160 quilômetros de sua casa, Bruno vai precisar de uma autorização da Justiça, de acordo com as condições de seu regime atual.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias