EXPECTATIVA

Náutico com ataque confiante para o returno da Série B

Jefferson Nem e Rony marcaram mais de um terço dos gols alvirrubros na Segundona

Thiago Wagner
Thiago Wagner
Publicado em 17/08/2016 às 10:11
Foto: JC Imagem
Jefferson Nem e Rony marcaram mais de um terço dos gols alvirrubros na Segundona - FOTO: Foto: JC Imagem
Leitura:

Com o segundo melhor desempenho na Série B, o ataque do Náutico está confiante para o returno da Segundona. Tanto que o atacante Rony, vice-artilheiro da equipe com cinco gols, chega ao ponto de afirmar que o time não precisa de outros jogadores para a posição. Para ele, as peças que já estão aí podem resolver.

“Eu acho que não precisa contratar atacantes. Temos jogadores qualificados para dar conta do serviço. Acredito que os que estão aí vão dar conta”, afirmou.

Além de Rony, Jefferson Nem também vem com um bom desempenho. Ele marcou seis gols na competição e é o artilheiro da equipe no campeonato. Juntos, os dois são responsáveis por mais de um terço dos gols do Náutico, que marcou 30 na Segundona, atrás apenas do Vasco, que fez 31.

O aproveitamento do ataque alvirrubro traz confiança não só para os jogadores, mas para a direção de futebol, que adota a cautela quando o assunto é contratar. Segundo o diretor Emerson Barbosa, o clube está atento ao mercado, mas sem prazo para trazer atletas.

“É sabido por todos que o Náutico continua atento ao mercado. Os clubes da Série A estão tendo muita dificuldade. Imagina os da B, que têm limitação financeira. A gente quer realmente atletas que venham somar. A gente está buscando basicamente atletas que tenham esse pré-requisito”, disse o dirigente.

Um dos últimos contratados pelo Náutico foi o zagueiro Adalberto, apresentado ontem, no centro de treinamento. Nas primeiras palavras como jogador do Timbu, demonstrou bastante empenho na busca pelo acesso. “Chego com a cabeça de ajudar e que eles possam me ajudar também”, declarou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias