EM BAIXA

Abatimento pela derrota para Avaí marca reapresentação do Náutico

Clima no CT Wilson Campos foi de bastante chateação com o distanciamento do acesso

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 14/11/2016 às 20:42
Foto: Filipe Farias/ Especial para o JC
Clima no CT Wilson Campos foi de bastante chateação com o distanciamento do acesso - FOTO: Foto: Filipe Farias/ Especial para o JC
Leitura:

Dois dias após perder por 3×0 para o Avaí, fora de casa, o elenco do Náutico se reapresentou, nesta segunda-feira (14), no Centro de Treinamento Wilson Campos. O clima no treinamento ainda era de muito abatimento visto que a derrota na última rodada da Série B deixou o Timbu em uma situação de que não depende apenas de si mesmo para conseguir o acesso.

Não à toa, dois dos líderes do grupo, os goleiros Júlio César e Rodolpho foram os responsáveis por participar da coletiva com a imprensa para mostrar anda o clima entre os jogadores para as duas últimas rodadas da Segundona onde apenas os seis pontos interessam a equipe alvirrubra. Dois goleiros em um mesmo dia, um fato nada comum para que cobre o dia a dia do clube.

“Por sermos os mais velhos do elenco, os mais experientes, isso aconteceu. Só que não apenas por isso, mas também por termos algumas atitudes parante ao grupo e diretoria. Isso faz parte, até porque a decisão de falarmos em um momento como esse é por essa causa e sabemos mais do que ninguém como é difícil”, afirmou o Rodolpho.

ESPERANÇA

Julio Cesar confirmou o abatimento por conta do último resultado negativo, mas frisou que o time alvirrubro não pode desanimar. Segundo o goleiro, o Náutico precisa fazer primeira a sua parte nos próximos confrontos para depois pensar na combinação de resultados que precisa para conseguir uma vaga na Série A do próximo ano.

“É quase impossível não ficar desanimado após o jogo. Mas o futebol assim de um dia após o outro. Precisamos passar um borracha em tudo que aconteceu. Já vi situações piores e não podemos desanimar. Temos que buscar as duas vitórias e se o Bahia não tropeçar… paciência. Precisamos fazer a nossa parte para depois não ficarmos lamentando”, disse o camisa um.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias