Alvirrubro

Técnico avalia seu começo no Náutico com cautela

Dal Pozzo tem cinco jogos no comando do Alvirrubro em um mês, com três vitórias e dois empates

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 11/06/2019 às 18:11
Notícia
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Dal Pozzo tem cinco jogos no comando do Alvirrubro em um mês, com três vitórias e dois empates - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Gilmar Dal Pozzo foi contratado pelo Náutico no dia 13 de maio. Quase um mês após a sua chegada, mesmo com oscilações, o desempenho do time melhorou consideravelmente e os resultados começaram a aparecer. São cinco jogos, com três vitórias e dois empates. O último triunfo foi conquistado nessa segunda-feira (10) diante do Sampaio Corrêa, no Maranhão. Com isso, o Alvirrubro entrou novamente no G4 do Grupo A da Série C e tem margem para um crescimento ainda maior. Mesmo assim, o técnico demonstra pés no chão ao falar sobre seu desempenho.

“No meu caso, muita calma nessa hora. Vim muito determinado para o Náutico. O Náutico abriu as portas para mim e quero retomar minha carreira com o Náutico. O Gilmar está falando isso, a diretoria também e o torcedor também tem que comprar essa ideia. Ninguém gostaria de estar numa Série C, sei que a torcida está muito chateada. Mas eu também me propus, nos últimos sete anos fiz mais de 150 jogos na Primeira e Segunda Divisão, e não é demérito nenhum vir para a Série C nas condições e grandeza que tem esse clube”, avaliou Dal Pozzo.

Gilmar passou teve sua primeira passagem pelo Náutico em 2015 e 2016. De lá para cá, passou por Paysandu, Ceará, Brasil de Pelotas-RS e Juventude. Sem tanto sucesso como em outrora, ao ter subido a Chapecoense da Série C para a Série B, e depois para a A, ele tenta voltar também a ter sucesso na carreira. E nada melhor do que com um clube do qual ele também tenha identificação, como é o caso do Timbu. A Terceirona tem dificuldades ressaltadas pelo comandante, que visa um trabalho de metas progressivas, até alcançar o objetivo final, o acesso para a Segunda Divisão.

“Em termos de resultado e do meu trabalho, tem que ter muita calma. Sabemos que a Série C é muito difícil. Temos um desafio de conseguir a classificação primeiro, e aí a gente se torna forte no mata-mata, mas projetando sempre jogo a jogo”, concluiu Gilmar Dal Pozzo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias