Aflitos

Presidente do Náutico diz que redução na capacidade dos Aflitos é "excesso de cuidado"

Por medida de segurança, o Corpo dos Bombeiros exigiu a redução na capacidade do estádio

Fernando Marinho
Fernando Marinho
Publicado em 15/01/2020 às 19:38
Notícia
Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Por medida de segurança, o Corpo dos Bombeiros exigiu a redução na capacidade do estádio - FOTO: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Leitura:

Depois do Corpo de Bombeiros determinar a redução na capacidade do estádio dos Aflitos, por medida de segurança, o presidente do Náutico, Edno Melo, enxergou a decisão como um “excesso de cuidado” por parte da coorporação. De acordo com o mandatário alvirrubro, o estádio está passando por melhorias desde o fim da Série C e não teria motivo para a redução de carga. Com a medida, o estádio alvirrubro terá a capacidade de 11.780 pessoas para o clássico contra o Sport, no próximo domingo (19), pela estreia no Campeonato Pernambucano.

“Essa redução é um excesso de cuidado que o Corpo de Bombeiros está tendo. Precisa ser feito algumas coisas pontuais no estádio, que a gente já está providenciando, mas de outubro para cá não existiu nenhuma modificação drástica para que se houvesse uma redução tão grande de público, muito pelo contrário, houve melhorias, mas estamos tratando, providenciando o que o bombeiro pediu para que volte o mais breve possível a capacidade máxima no estádio", declarou o presidente.

ESTÁDIO

O presidente alvirrubro ainda lembrou do jogo contra o Paysandu, no ano passado, que marcou o acesso do Náutico à Série B. Na oportunidade, 16.662 torcedores compareceram aos Aflitos. Mesmo sem o estádio ter tido nenhum incidente desde que foi reinaugurado, no final de 2018, Edno Melo garante que a diretoria do clube está trabalhando para atender as exigências do Corpo de Bombeiros.

"No jogo do acesso foram liberados mais de 17 mil torcedores e agora 11 mil, nada justifica. Não teve nenhum acidente no decorrer do ano inteiro, a gente teve final de Campeonato Pernambucano lá, teve o jogo contra o Paysandu e mais dois jogos decisivos na Série C, contra o Juventude e Sampaio Corrêa, e não existiu nenhum incidente, absolutamente nada, a torcida compareceu para torcer realmente, mas se o bombeiro entendeu dessa maneira, vamos trabalhar para cumprir o que se pede", comentou Edno Melo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias